Nacional

HCM diagnostica dois mil casos de cancro anualmente

O Hospital Central de Maputo (HCM) diagnostica anualmente cerca de dois mil casos novos de cancro, dos quais 120 ocorrem em crianças, daí o apelo para que a sociedade seja mais vigilante às manifestações das mais variadas manifestações da doença e procurar cuidados médicos em boa hora.

O apelo nesse sentido foi feito pela Ministra da Saúde, Nazira Abdula, no lançamento hoje em Maputo Campanha de Sensibilização e Mobilização sobre a Luta contra o Cancro, por ocasião do 4 de Fevereiro, Dia Internacional de Alerta Contra o Cancro, e o dia 15 do mês dedicado ao cancro na criança.
Abdula, que é patrona da iniciativa, apontou, a título de exemplo, que nos adultos os cancros mais frequentes em pessoas do sexo feminino são o do colo do útero (30 por cento), cancro da mama (11,9 por cento) e o sarcoma de Kaposi (11,7 por cento). No sexo masculino, o sarcoma de Kaposi ocupa o primeiro lugar com 20,8 por cento, seguido da proposta (18 por cento) e do fígado (10,7 por cento).
O cancro na infância (dos zero aos 14 anos), segundo a titular da pasta da saúde, é responsável por seis por cento de cancros em ambos os sexos. Os três mais comuns são as leucemias (20 por cento), o linfoma de Burkitt (18 por cento), seguidos de outras formas de Hodgkin (13 por cento) e o sarcoma de Kaposi (13 por cento).
No entanto, muitos dos casos da doença chegam tardiamente às unidades sanitárias, sendo a taxa de sobrevivência muito baixa, apesar dos esforços desenvolvidos no sentido de melhorar a prevenção e a detecção precoce de alguns cancros.
Queremos nesta campanha alertar toda a comunidade sobre as formas de prevenção, detecção precoce, manifestações e tratamento dos cancros mais comuns entre nós”, disse a ministra.
No decurso do mês, serão promovidas palestras, debates e entrevistas na comunicação social sobre a problemática do cancro no país e, segundo a ministra, está igualmente prevista uma feira de saúde no fim-de-semana do dia 21, no espaço do Parque da Paz, na avenida Acordos de Lusaka.
Além de palestras e aconselhamento sobre o cancro serão oferecidos, segundo a fonte, outros serviços de saúde que incluem a avaliação da tensão arterial e da glicemia, testes de HIV, rastreio de problemas de visão e saúde oral.
Em relação a situação do cancro nas outras províncias do país, Nazira Abdula afirmou que o sector que dirige está envolvido em um processo de edificação de um banco de dados, donde passará a compilar e disponibilizar, com toda a precisão, quaisquer informações sobre esta patologia noutras províncias e regiões do país.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo