Nacional

Governo e parceiros aplicam 670 mil dólares

Seiscentos e setenta mil dólares americanos é o montante que o governo e parceiros de cooperação estão aplicar desde ano passado em actividades de investigação de novas variedades de sementes de leguminosas no distrito de Sussundenga, província de Manica. O projecto está ser implementada pelo Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM).

O centro dispõe duma área de ensaios calculada em quatro hectares onde estão em experimentação trinta e três variedades de feijão vulgar, três de feijão bóer, cinco de nhemba e sete de soja, todas identificadas como sendo promissoras.

Os resultados destas pesquisas estarão disponíveis para os produtores em 2017 e poderão contribuir para aumento de produção de legumes, alimento essencial na dieta da população, sobretudo da zona rural.

O chefe de departamento de formação, documentação e difusão no Instituto de Investigação Agrária de Moçambique da zona  centro, Magalhaes Miguel, disse que o projecto terá a duração de cinco anos .

“Os estudos que estão sendo realizados visam identificar as variedades de sementes tolerantes a seca e a baixa fertilidade dos solos, um dos factores que limitam a produtividade agrícola em quase as regiões do país”, elucidou.

Magalhães Miguel acrescentou que as multiplicidades de sementes que serão identificadas no fim daquele programa integrado deverão demonstrar um bom desempenho e resistir a diversos factores climatéricos para que o produtor obtenham os resultados desejados em tempo real. Aliás, resultados preliminares indicam que dez variedades de sementes apresentam bom aspecto e poderão adequar-se a seca e a fraca fertilidade dos solos.

Segundo a nossa fonte, terminado a pesquisa, e no que tange ao rendimento final, estima-se uma produção entre dois e três toneladas por cada hectare nas condições de rega e fertilização.

A vice-ministra da Agricultura e Segurança Alimentar, Luísa Meque, que durante três dias trabalhou na província de Manica, tendo escalado sucessivamente, os distritos de Sussundenga,Vanduzi e Báruè disse que foi possível ver a ligação investigação e extensão.

“Algumas províncias estão a atravessar sérios problemas de estiagem que comprometem as metas de produção agrícola. Uma componente importante é garantir que haja o aumento da produção agrária. O governo enfatiza que cada camponês tenha maior produção possível. Estes ensaios permitirão que esta pretensão seja concretizada não só na produção de leguminosas mas também em outras culturas para garantia da segurança alimentar e nutricional da população”, disse. 

 

Domingos Boaventura
mingoboav@yahoo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo