Nacional

Duas mil mulheres recebem tratamento de HIV

Cerca de duas mil mulheres já receberam tratamento de HIV no Centro de Saúde da Matola II desde o ano 2002, tendo nascido mais de 4.600 crianças saudáveis de mulheres infectadas no mesmo período.

Os resultados foram obtidos no âmbito de implementação do Programa DREAM (Associação para o Direito aos Tratamentos Sanitários e de Luta Contra o Sida). Os dados foram anunciados no decurso da inauguração de um novo anexo do Centro de Saúde da Matola II, destinado ao atendimento de mães e crianças e que deverá beneficiar cerca de 172 mil habitantes dos oito bairros da Matola-Sede.

A vice-ministra da Saúde, Nazira Abdula, na sua intervenção, afirmou que o acto representa um passo que o Governo moçambicano dá, através do Ministério da Saúde, na melhoria do acesso aos cuidados de saúde de qualidade, e na luta contra o HIV/SIDA, em particular.

De acordo com a vice-ministra, nas últimas décadas, o sistema de saúde em Moçambique tem enfrentado grandes desafios, agravado pelo surgimento de novas doenças, entre elas o HIV/SIDA, cuja prevalência é de 11.5% da população, no geral, e de 15.8% entre as mulheres grávidas, em particular, estimando-se que cerca de 1.4 milhão de pessoas estejam infectadas por esta doença, das quais 770 mil são mulheres.

O anexo inaugurado vai contribuir para a melhoria da qualidade do serviço Pré-Natal, Tratamento Anti-Retroviral Pediátrico e Crianças de Risco. O mesmo foi construído pela DREAM com o financiamento da Embaixada do Japão, Total, FICA, Fundação SIDA Alemã e FAI.

Entretanto, a empresa de telefonia móvel Moçambique Celular (mcel) e a DREAM rubricaram recentemente um memorando de entendimento através do qual a mcel disponibiliza, de forma gratuita, duas linhas telefónicas (Linhas Verdes) para chamadas de voz para permitir o acesso fácil e célere aos serviços de saúde pública, por parte dos cidadãos que pretenderem reportar algum caso de urgência ligado à saúde.

Intervindo na cerimónia, o presidente do Conselho de Administração da mcel, Teodato Hunguana, referiu que a mcel prontamente decidiu se associar a esta iniciativa “para salvar vidas humanas, assim como para contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, através do atendimento célere e eficaz às mulheres e crianças sempre que necessitarem de apoio médico no seu dia-a-dia”.

Por seu turno, Paola Germano, directora executiva da DREAM, agradeceu à mcel pela disponibilização deste serviço, que irá contribuir sobremaneira para a aproximação dos serviços de saúde aos cidadãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo