Nacional

CADE distingue melhores professores e alunos

A Comunidade Académica para o Desenvolvimento (CADE), juntamente com os seus parceiros, premiou recentemente professores e alunos que se notabilizaram 

a nível nacional no presente ano lectivo. Entretanto, foram igualmente premiadas três melhores reportagens jornalísticas correspondentes à imprensa escrita, rádio e televisão, numa cerimónia que foi testemunhada por várias individualidades, dentre elas, os ministros da Educação e da Ciência e Tecnologia, Augusto Jone e Louis Pelembe, respectivamente.

No total, foram onze professores distinguidos, um em cada província, com base na avaliação do seu desempenho, sendo que conseguiram mais de 90 pontos percentuais, numa escala de 100.

Cada um dos professores laureados levou para casa um diploma de honra, telefone celular e mobiliário de sala de jantar. Dois docentes, nomeadamente, Jacinto Mondlane, da província de Gaza, e Adelino Agostinho Pilale, de Nampula, receberam, para além do prémio colectivo, um carro e uma motorizada, respectivamente.

Foram também galardoados onze alunos do nível médio, um em cada província. Estes tiveram médias anuais, em termos de aproveitamento escolar, que variam entre 16 e 17 valores.

Para além de receberem o diploma de honra e telefone celular, ficaram a saber que todos têm bolsa que lhes vai permitir continuar com os seus estudos no ensino superior. Neste grupo de discentes, a apurada da província da Zambézia, Cila da Graça, recebeu igualmente uma bicicleta, enquanto Adilton Cândido Victorino, da Cidade de Maputo, tem uma passagem aérea de ida e volta para o exterior.

Em conversa com o domingo, sobre a premiação, o professor Jacinto Mondlane, de 42 anos de idade, que exerce a sua actividade desde 1998, referiu que, embora seja uma coisa que lhe colheu de surpresa, tal constitui o reconhecimento do sacrifício que tem feito para transmitir os seus conhecimentos aos alunos.

Mondlane é formado em filosofia pela Universidade Pedagógica e trabalhou até ao ano 2000 na cidade de Maputo. Foi transferido para Gaza, onde, actualmente, trabalha, simultaneamente, em dois distritos: Xai-Xai e Chibuto.

Por sua vez, Adelino Agostinho Pilale, de 30 anos de idade, trabalha como professor há 10 anos na província de Nampula, leccionando a cadeira de Português. Actualmente está colocado na Escola Secundária de Moma. Considera a distinção ‘uma forma de valorizar o papel do professor na comunidade onde está afecto’.

Pilale é formado em Ensino de Português pela Universidade Pedagógica, Delegação de Nampula.

Intervindo na ocasião, o Ministro da Educação, Augusto Jone, elogiou a iniciativa, particularmente pelo facto de terem sido atribuídas bolsas de estudo aos onze alunos premiados, que a partir do próximo ano vão cursar o ensino superior.

Na sua explanação, não deixou de reconhecer as dificuldades que os professores têm enfrentado para dar as lições, sobretudo devido à falta de infra-estruturas adequadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo