Mulher

MUTHIYANA DE FIBRA: Quero actuar em Direito e profissionalizar-me na música

Nome: Nélia Augusto Zucula

Naturalidade: Maputo

Residência: Matola-Rio

Conquistas: Fez o ensino primário em Maputo, na Escola Primária Completa de Chinonanquila; o “secundário” em Maputo, na Escola Secundária de Boane. Actualmente, frequenta o 3.º ano do curso de Direito no Instituto Superior de Comunicação e Imagem de Moçambique, em Maputo. A “muthiyana” de fibra desta edição do domingo revela que desde a infância apreciou o curso de Direito, pois admirava a forma como os advogados defendiam os seus clientes. Mas a sede de trazer justiça aos injustiçados é o motivo pelo qual correu atrás do curso dos seus sonhos. Conta ainda que sempre gostou de cantar, que na infância era aquela criança que “provocava” muito barulho com som alto: “sempre tive esse ‘bichinho’ da música, e as pessoas ficavam maravilhadas com a minha voz, embora causasse ‘muito barulho’”. Decidiu, portanto, seguir o seu coração, e “desde pequena componho as minhas músicas. No mundo artístico ostento o nome de Nace Sweetness”. Hoje, divide-se entre a arte e a faculdade. Já gravou duas faixas do género kizomba, a primeira foi lançada no ano passado com o título “Moranguinho”. “Nessa música, retrato a história de um jovem mulherengo que conquista todas as meninas da zona”, diz aos risos. A segunda foi publicada este ano no mês de Fevereiro. Assim se posiciona no mundo esta mulher de fibra.

Sonho: “Gostava de terminar o curso de Direito e trabalhar na minha área de formação; constituir uma família e, como Nace, quero profissionalizar-me na música, ser uma cantora reconhecida a nível internacional. Mas não tenho muita pressa, pois é importante respeitar o processo”.

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo