Internacional

Foi o fracasso do mundo inteiro

O Presidente queniano, Uhuru Kenyatta, apresentou as suas desculpas pela ausência de reacção da África Oriental durante o genocídio de 1994 no Ruanda, num discurso pronunciado em Kigali durante a comemoração do 20º aniversário dos massacres em massa neste país.

Uhuru Kenyatta, Presidente em exercício da Comunidade dos Estados da África Oriental (CEA), afirmou que “ a dor e a  morte” que caracterizam o genocídio é uma lembrança do fracasso do mundo inteiro em impedir os massacres

“Durante 100 dias, o Ruanda sofreu gravemente enquanto todo o mundo observava sem ousar intervir e responder à famosa promessa de “nunca mais” “feita após o holocausto”, declarou Uhuru Kenyatta, segunda-feira em Kigali.

“A nossa região (Oriental) não reagiu igualmente e por isso nós devemos apresentar as desculpas mais profundas ao povo do Ruanda”, afirmou o Presidente queniano, reiterando pena por a região da África Oriental “não ter reagido” durante este período.

O Presidente queniano indicou que para impedir o regresso de massacres similares, como os que ocorreram no Ruanda, capacetes azuis ruandeses e quenianos deverão ser regularmente desdobrados para reprimir massacres potenciais.
Ele sublinhou que os embaixadores dos dois países estão muito activos no plano diplomático para prevenir as atrocidades.

O líder queniano e o Secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, reconheceram que a crise no Ruanda continua a fazer-se sentir na região dos Grandes Lagos.

"Soubemos que alguém proveniente de longe não pode socorrer-nos. Devemos construir uma capacidade independente e ter vontade de proteger a vida das nossas crianças e o seu futuro", lembrou Kenyatta.

Para evitar o regresso a estes vazios de segurança no futuro, o Presidente Kenyatta defendeu que a região dos Grandes Lagos deve trabalhar para a instauração duma força de estabilização.

Aliás, a força de estabilização faz parte dum plano da União Africana (UA) para dar uma resposta rápida às crises regionais como o genocídio.

“Por isso, enquanto Presidente da CEA , eu acho que devemos garantir-nos de que a nossa região seja forte no plano da segurança e da ajuda mútua”, declarou.

Diversos líderes do mundo reuniram-se no Ruanda para depositar coroas de flores comemorativas do 20º aniversário do genocídio, que fez cerca de 800 mil mortos.

Entretanto e apesar de todo horror que foi o massacre de tutsis e hutus moderados no Ruanda parece que o mundo não aprendeu mundo com a pesada herança dado que parece estar em curso um novo genocídio desta feita na República Centro Africana.

Será o mundo assim tão impotente?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo