Internacional

Biden concede licença à Arábia Saudita para matar no Iémen

O Governo dos EUA tomou uma decisão que pode impossibilitar o cumprimento da promessa de Joe Biden de não continuar a “patrocinar” as “matanças sauditas” no Iémen. Na semana passada, o Pentágono (que alberga o Ministério da Defesa) anunciou que o Governo dos EUA aprovou a venda de armamento para o Reino da Arábia Saudita, estimado em mais de 650 milhões de dólares. Tendo em conta que, em Fevereiro último, Biden disse que o seu país ia terminar o apoio às operações ofensivas militares lideradas pelos sauditas no Iémen, a materialização daquela decisão parece ir contra a vontade outrora expressa.

Em Fevereiro deste ano, o Presidente Joe Biden indicou que o seu Governo iria corrigir os erros da política externa do seu país no que diz respeito à intervenção saudita no Iémen. Na sua primeira visita ao Departamento de Estado (Ministério dos Negócios Estrangeiros), Biden fez saber que iria pôr fim aos cinco anos de apoio da ofensiva militar liderada pela Arábia Saudita no Iémen. Tal decisão resultava do entendimento, do Presidente, de que a intervenção externa no Iémen estava a causar mais sofrimento do que alento, dado que, segundo ele, “o conflito criou uma catástrofe humanitária e estratégica”. Com efeito, a decisão de terminar o apoio tinha em vista restaurar a “ênfase dos EUA na diplomacia, democracia e direitos humanos”. Leia mais…

Por Edson Muirazeque *
edson.muirazeque@gmail.com

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo