AGOSTINHO ERNESTO TOMÁS, TREINADOR DE ATLETISMO: Faz-me bem fazer o bem

Chama-se Agostinho Ernesto Tomás e tem 67 anos de idade. É treinador de atletismo no clube Ferroviário das Mahotas há 41 anos. Nos últimos três anos, passou a dedicar parte do seu tempo para dar ginástica fisioterapêutica a pessoas que sofreram Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Tudo começou aos 16 anos (1970) quando entrou para o clube Ferroviário como atleta na modalidade em que hoje é treinador. Aliás, o seu pai foi jogador de futebol, no mesmo clube, e escritor dactilógrafo nas oficinas gerais dos Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM).

Como atleta, “não tive marcas sonantes, por isso as pessoas pensam que não corri, mas fi-lo principalmente em provas de 800 metros”.

Aos 19 anos, já em 1973, sai das pistas e entra para os CFM como operador de máquinas pesadas. Entretanto, continuava a correr no “bate-barriga” (prática desportiva para manter a forma). Foi por essas alturas que, em 1979, a direcção da “ferrovia” propôs-lhe que largasse o guindaste para introduzir a modalidade de atletismo no Ferroviário das Mahotas. E assim foi, concretamente em 1980. Agostinho Ernesto Tomás foi indicado treinador de atletismo naquele clube. O resultado foi que, “poucos meses depois, começava-se a ouvir falar de atletismo no bairro Ferroviário das Mahotas”. Leia mais...

Texto de Eduardo Changule

Classifique este item
(0 votes)