CARTA DOS LEITORES

domingo publica cartas, através das quais o estimado leitor partilha reflexões sobre alguns temas da actualidade, nomeadamente, sociais, culturais, políticos e económicos. Os textos originais não devem exceder 250 palavras e podem ser enviados para os seguintes endereços: Rua Joe Slovo, 55, Caixa Postal 327, cidade de Maputo ou redaccao.domingo@ snoticias.co.mz

A máscara não pode custar o mesmo que um pão

- Marta Valentina

Há cerca de um ano e três meses que o nosso país confirmou o primeiro caso do novo coronavírus, o que levou o Governo a introduzir medidas de mitigação da propagação desta que é considerada a mais recente pandemia global.

Desde que se iniciou a guerra contra este inimigo invisível, algumas medidas foram sendo relaxadas e outras agravadas, tudo em função do ritmo da propagação e em prol da saúde pública. Não podemos deixar de agradecer esse esforço indubitável do Governo na luta pela saúde e vida dos seus cidadãos.

Entretanto, há uma pulga que não me sai da orelha e rouba-me sono neste momento em que este vale ouro. O distanciamento social, lavagem ou desinfecção regular das mãos e o uso quase que permanente da máscara me parecem ser as medidas básicas neste combate… bem que o Governo deu isenção de pagamento de imposto aos produtores de sabão e alguma facilidade no pagamento das facturas de água que não chega nem a metade da população (mas este não é o caso), mas e as máscaras? Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)