Jurou não fazer a barba enquanto Chimoio não se livrasse do lixo

Fez um juramento enigmático ao povo: enquanto a cidade de Chimoio, no Centro de Moçambique, não se livrasse do lixo, nunca e nunca cortaria a sua barba.

Estabeleceu relação de proporcionalidade entre a quantidade do lixo na sua cidade e quantidade de pêlos que nascem e crescem no seu queixo e na sua face. “Quanto mais barba tivesse isso significaria que a cidade está mais suja”, sublinha.

Desde o início do mandato como presidente do Conselho Municipal de Chimoio travou intensa batalha contra o lixo, empenhando-se pessoalmente na limpeza da cidade.

Contudo, para o seu desgosto, o lixo impunha-se com ousadia, vendo, por isso, a barba crescer até alcançar tamanhos descomunais.

Mesmo assim, João Ferreira, presidente daquela autarquia, 47 anos de idade, não atirava a toalha ao chão. “Era uma aposta com o povo desde o início do meu mandato como presidente da autarquia, não podia desistir. Desde sempre a minha principal batalha foi combater o lixo”, conta ao domingo. Leia mais...

TEXTO DE BENTO VENÂNCIO

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)