A mentira tem sempre pernas curtas

O livro dos recordes, o célebre Guiness Book, pode passar a integrar mais um feito moçambicano a juntar- -se ao da Graça que foi primeira-dama de dois países; assim ela passará a ter companhia de mais uma compatriota que, também, bateu um recorde… pequenino, mas é um recorde.

Não é que a Polícia, no âmbito das suas competências, decidiu fazer uma campanha com o inusitado nome “Carta na Mão”. Uma daquelas operações “desagradáveis” que a Polícia inventa só para tramar a malta que gosta da esbórnia e das acelerações desvairadas pelas estradas fora sem o mínimo de pudor…

Pois dizia que numa dessas acções, a Polícia deu de caras com uma automobilista que conduzia há mais de 5 anos com uma carda caducada. Linda e produzida para um desfile de moda, a senhorita lá se desculpou como pôde; evocou a última subida da temperatura, buscou o ciclone Kenneth e as cheias de 2000 como prováveis causas da caducidade da licença de condução.

O agente que viu a carta ficou com a cara em banda. Nunca vira semelhante coisa. Pior ficou quando a senhorita, retocando o baton, confirmou que sempre conduzira sem problemas com a Polícia simplesmente porque nunca a mandaram parar… portanto anda pelas ruas sem ser estressada pela Polícia.

Bula-bula pensa que a beleza estonteante da senhora pode ser a grande “culupada” para tanto sucesso… é que cinco anos a conduzir ilegalmente é obra de grande vulto. Guiness Book, registe…

Classifique este item
(0 votes)