“MatalanaGate”: PARA GRANDES MALES, GRANDES REMÉDIOS

A parte do título que está entre parêntesis é “copy and paste” da “MAPIKO” do domingo passado, da autoria do meu estimado amigo e “Padrinho” Belmiro Adamugy, a quem saúdo com a devida vénia.

Ele (Belmiro Adamugy) conseguiu com fidedigna mestria penetrar na mente e na pele das quinze (15) jovens supostamente violentadas e selvaticamente desfloradas nas esquinas da Escola Prática da Polícia localizada algures nas matas de Matalane, terra do imortal Mestre Malangatane Valente Ngwenya, no distrito da Marracuene, província de Maputo. Vão, pois, as minhas congratulações ao “Padrinho” Adamugy pela inspiração, pois conseguiu introduzir-se, extravasar e comover os corações, mesmo dos mais inflexíveis e impiedosos pais e mães deste sofrido país. A cruel travessura, diz-se, foi realizada por “trogloditas quadrúhumanos”, cujas identidades até agora não foram reveladas. Isto acontece em pleno século XXI (21), no decorrer do XL (40.º) Quadragésimo Curso. Por ironia do destino, o número das vítimas (quinze) corresponde exactamente ao igual número das netas da filha da minha falecida sogra. Essa coincidência fez com que a descrição do incidente, feita pelo meu “Padrinho” e amigo Adamugy, caísse em mim como se alguém me tivesse atirado um soco na boca do estômago. Espero, pois, que os estimados e respeitosos leitores compreendam a razão da minha fúria que abaixo passo a descarregar. Se comigo foi assim, já podem imaginar a reacção da filha da minha falecida sogra, mentora directa das mães e dos pais das 15 indefesas donzelas vítimas! Donzelas sim, porque, até pode ser que algumas tivessem iniciado algum romance com colegas da escola, mas, para nós outros, os progenitores, ainda tratávamo-las como verdadeiras “anginhas”, cheias de sonhos por realizar. Leia mais...

Por Kandiyane Wa Matuva Kandiya

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)