MUTHIYANA DE FIBRA: Fui educada para não choramingar

 Nome: Neli Gonçalves

Idade: 26 anos

Naturalidade: Gaza

Residência: Gaza

Ocupação: Estudante de Direito

Conquistas: Deu os primeiros passos na vida pessoal e académica na província de Gaza. Hoje, cursa Direito, algo que lhe vai na alma e cai-lhe como uma luva, uma vez que se considera uma pessoa com a indignação permanentemente accionada. Ao longo da sua infância e em plena juventude, conviveu com o preconceito, numa sociedade que “define a beleza da mulher pelo tamanho do seu corpo, e não pela inteligência ou independência financeira”. O que ocorre é que “sempre fui uma menina magra, a mais magra na escola, no bairro... e por isso atribuíam-me alguns títulos”. No entanto, soube e tem sabido livrar-se do desconforto, pois “a minha mãe educou-me para ser forte; para não choramingar pelos cantos, quando confrontada por situações difíceis. Eu aprendi a defender-me”.

E, graças à sua silhueta fina, Neli participou num concurso de beleza, em Xai-Xai. “Nessa altura, em 2013, estava a fazer o secundário. Fiquei em 2.º lugar, ganhei perfume e dinheiro... mais tarde, foram aparecendo outros concursos, em Maputo. Cheguei a participar no casting para o Mozambique Fashion Week (MFW), em 2016”. Para a sua frustração, não deu muitos passos na sua pretensão (ser modelo): “disseram-me que não tinha altura, e esta foi a primeira vez que ouvi dizer que era baixinha, sendo que vi pessoas menos altas a passarem...”, desaba. Mas o seu lema é bola para frente, sempre de cabeça erguida. Segue nesta vida mostrando a sua determinação e criando, a título de exemplo, produtos caseiros para o cabelo: “tenho muitas receitas caseiras para cuidar da carapinha”.

Sonho: “Ser juíza”.

Classifique este item
(0 votes)