No Tadjiquistão entendi Afeganistão

Porque o destino tece a nossa vida, tive a felicidade de pisar Tajiquistão, depois de uma paragem de cerca de dez horas rondando Istambul, 17 milhões de habitantes, e com a gratidão de navegar o estreito de bósforo, que liga o mar Negro ao mar de Mármara e marca o limite dos continentes asiático e europeu na Turquia. É um mimo.

A capital do Tadjiquistão é Dushanbe. Aliás, foi lá onde estudaram e concluíram os seus estudos superiores alguns jovens que militaram nas Forças Armadas de Moçambique nas décadas 1980 e 1990. Houve quem ficou piloto, médico e/ou técnico de manutenção de helicópteros.

Já agora, e recorrendo ao que está grafado no google, a história do Tajiquistão vem desde a antiguidade, remontando a 3000 a.C., primeiramente com os persas que fizeram da região sua colónia. Quando o poderoso Império Aquemêndia caiu, após a invasão do exército macedónio de Alexandre, o Grande na Sogdiana em 327 a.C. (a sétima arte fez- -nos já o favor de narrar essa história), os árabes mais tarde passaram a islamizar os habitantes daquela região, que hoje apresenta muito viva a cultura muçulmana.  Leia mais...

Por André Matola

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it..mz

Classifique este item
(0 votes)