Dois jornalistas do Expresso Moz, nomeadamente, Anselmo Sengo e Nelson Mucandze foram condenados a pagar uma indemnização na ordem de 10 milhões de meticais a favor de Filipe Paúnde, ex-secretário geral da Frelimo, pelo crime de difamação manifestado sob forma de reportagem intitulada “Paúnde vende Isenções”, publicada em Fevereiro de 2014 naquele mesmo jornal.

Os jornalistas, nomeadamente, o director editorial Anselmo Sengo (por solidariedade) e o articulista foram ainda condenados a 4 meses de cadeia e mais um por abuso de Liberdade de Expressão e pelo crime de difamação.

O artigo em causa dizia a dado passo que “Filipe Paúnde está em apuros por causa da alegada venda de direitos de isenção na importação de viaturas. Os beneficiários das isenções são preferencialmente comerciantes e vendedores de viaturas na cidade de Maputo e Matola.”

Entretanto, em juízo, o jornalista não conseguiu apresentar evidências da acusação e a 3ª secção do Tribunal Judicial do Distrito Municipal Ka-Mpfumo, diante dos factos deu razão ao queixoso condenando assim aqueles jornalistas a pagar a referida indemnização.

Redacção

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 61,72 62,95
ZAR 4,18 4,26
EUR 68,69 70,06

18.10.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 234 visitante(s) ligado(s) ao Jornal