A parceria anunciada entre Sony e Microsoft prevê que a dona da PlayStation use o serviço de cloud da dona da Xbox para fazer streaming de jogos e conteúdos. Apesar de ainda não terem sido revelados os contornos específicos do acordo, os mercados reagiram bem, com as acções de ambas as empresas a subirem.

Para a Sony, esta será uma forma de revitalizar o interesse dos jogadores, numa altura em que os rumores apontam para o surgimento de uma nova versão da PlayStation para 2020.

Do lado da Microsoft, esta parceria será uma forma de aumentar o negócio da plataforma Azure na cloud e rivalizar com o Amazon Web Services. Recorde-se que a Amazon investiu forte no streaming de jogos com a aquisição do Twitch por mil milhões de dólares.

Este acordo entre Sony e Microsoft também prevê a colaboração de ambas as empresas no desenvolvimento de chips de sensores de imagem que usem a solução de Inteligência Artificial da Microsoft. Também sobre esta vertente do acordo não foram revelados pormenores, apenas a intenção de “proporcionar experiências de IA altamente intuitivas e user-friendly”.

Actualmente, as câmaras inteligentes são usadas, por exemplo, para detectar itens defeituosos nas linhas de produção, com maior precisão do que conseguem os inspectores humanos.

A tecnologia da Microsoft para reconhecimento de imagens e de entendimento de linguagem rivaliza com as soluções mais conhecidas da Alphabet, mas é focada apenas no mercado empresarial. A Sony, por sua vez, tem um grande catálogo de produtos destinados ao consumo.

Lenovo prepara ThinkPad

com ecrã que se dobra

Lenovo aproveitou a conferência Accelerate na Forida para mostrar o protótipo de um portátil com ecrã que se dobra. O dispositivo ainda não tem nome oficial, mas deve fazer parte da família ThinkPad e surgirá no mercado em 2020, sendo esperados mais detalhes durante a CES, em Las Vegas.

Do que foi possível ver, o Engadget noticia que se trata de um aparelho com ecrã OLED de 13,3 polegadas, que se fecha sobre si mesmo, à semelhança do que acontece com o Galaxy Fold. O aparelho fechado tem as dimensões e aspecto de um caderno Moleskine e pode ser transportado de forma confortável com uma mão apenas. Este aparelho deve vir equipado com um estilete.

Nas traseiras, há um suporte para que o aparelho possa ser usado em configurações All-in-One e conectado a um teclado e rato por Bluetooth, com o portátil a servir de ecrã de 13,3 polegadas. Em modo portátil, o ecrã dobra-se ao meio e o terço inferior é reservado para se transformar em teclado, à semelhança do que a Lenovo faz com os Yoga Book.

A principal dúvida deste tipo de equipamentos surge precisamente relacionada com esta dobra e sobre quão resistente será com o passar do tempo. Recorde-se que a Samsung enfrenta ainda dificuldades relacionadas com este aspecto no Galaxy Fold.

Ainda não se conhecem preços para este Lenovo com ecrã que se dobra.

Exame Informática

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 61,11 62,29
ZAR 4,16 4,24
EUR 67,19 68,49

12.09.201Banco de Moçambique

+ lidas