Uma crónica fútil

Sonhos não morrem, apenas adormecem na alma da gente e basta só uma frase para eles renascerem outra vez - Chico Xavier

No palco da existência, da vida, quando o fim chega e as cortinas se fecham, todos os mistérios são revelados do outro lado. Nessa altura, descortinaremos se terá valido a pena ou não a nossa efémera passagem pela vida onde andamos quase sempre acorrentados às ilusões do materialismo… deve ser por isso que Juahrez Alves acredita piamente que a vida é uma preparação para depois da vida, mas nós a negligenciamos…

Deixamos o acaso comandar as nossas vidas. Adiamos planos, programas, encontros em nome de uma corrida pela vida. Qual vida? Se o momento é precisamente este. Dizem os sábios que o amanhã não existe. O que temos mesmo garantido (?) é o agora. E mesmo esse instante não nos pertence na totalidade.

E isso é tão verdadeiro como o facto de há dias - ainda me custa a acreditar - um amigo e irmão tenha deixado o plano material para embarcar numa viagem eterna na capital das luzes. Sim das luzes porque ele só pode ter ido para um lugar infinitamente melhor. Quero acreditar que sim para poder manter a minha sanidade mental. É que a vida nos agredi com uma violência inexorável, demolidora. A vida faz-nos sangue todos os dias. Leia mais...

Por Belmiro Adamugy

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)