INVESTIMENTO NA BOLSA DE VALORES: Um negócio que requer perspicácia

A Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB) pagou na semana finda cerca de 150 milhões de Meticais em dividendos aos accionistas da chamada Série B, nomeadamente cidadãos, empresas e instituições que entraram na sociedade como resultado da Oferta Pública de Venda (OPV) de acções realizada em 2019. Mas muitos se desapontaram porque não perceberam por que receberam tão pouco. No lugar de celebrar, parte considerável dos accionistas torceu o nariz porque esperava muito mais do que 0,111 Meticais por acção. Todavia, este negócio requer habilidade de comprar e vender acções na hora certa. “É preciso ter olho para a coisa”, afirmam especialistas.

Trata-se de dividendos referentes ao exercício económico que terminou a 31 de Dezembro de 2020 aprovados em assembleia geral ordinária havida no dia 30 de Abril de 2021, a um valor bruto de 0,111 Meticais por acção, que corresponde a um incremento de 73,6 por cento em relação aos dividendos pagos em 2020.

O valor foi pago no dia 14 de Junho corrente, segunda-feira, e assim que foi noticiado, gerou uma reacção pouco animada por parte de alguns accionistas que acharam o valor “irrisório” para a dimensão da HCB, cujos lucros são bilionários e com tendência crescente de ano para ano.

Porém, o que muitos ignoram é que a mecânica de investimento em bolsa de valores equivale a um mercado onde, mais do que esperar pelos dividendos, é preciso estar atento ao preço das acções para vender ou comprar no momento certo. No caso da HCB, a valorização das acções tem estado a ocorrer de vento em popa contrariando as percepções pessimistas recentemente veiculadas, pois as acções adquiridas em 2019, pelos accionistas da Série B, a três Meticais cada, hoje valem 13,75 Meticais. Leia mais...

Texto de Jorge Rungo

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)