Cabo Delgado precisa de coração compassivo – afirmam bispos da Conferência Episcopal de Moçambique

Os bispos da Conferência Episcopal de Moçambique (CEM) deploram os ataques terroristas contra a população da província de Cabo Delgado, ora obrigada a deslocar-se das suas zonas de origem. “Deploramos e condenamos todos os actos de barbarie cometidos. Pessoas indefesas são mortas, feridas e abusadas”, afirmou o porta-voz da CEM, Dom João Carlos, numa declaração à Imprensa.

Reunidos semana finda em Maputo na sua primeira Sessão Plenária deste ano, os bispos católicos de Moçambique reflectiram sobre a situação sociopolítica do país, sobretudo em torno da violência armada que se regista na província de Cabo Delgado, desde o ano de 2017, e que já provocou mais de 670 mil deslocados e dois mil mortos.

Ao apresentar as conclusões da primeira Sessão Plenária, Dom João Carlos lamentou a trágica condição de vida da população daquela província nortenha, que foi obrigada a abandonar as origens. “Estes nossos concidadãos, a maioria mulheres e crianças, são empurrados para o precipício da insegurança e do medo. Eles vêem os seus bens pilhados; a intimidade dos seus lares violada; suas casas destruídas e cadáveres dos seus familiares profanados”, lamentou. Leia mais...

Texto de Domingos Nhaúle

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)
Última modificação: Sábado, 17 Abril 2021 20:22