VÍTIMAS DE ATAQUES TERRORISTAS EM PALMA: Ponte marítima garante assistência humanitária

A assistência alimentar a cerca de 60 mil pessoas, através da ponte marítima, localizada na aldeia de Quitunda e vila-sede de Palma, que recentemente foi alvo de ataques de grupos terroristas, prosseguiu semana finda.

A informação foi avançada, quinta-feira última, pelo secretário de Estado na província de Cabo Delgado, Armindo Ngunga, que, entretanto, por razões consideradas de “gestão estratégica de informação”, não avançou as quantidades de víveres até ao momento canalizadas às regiões acima mencionadas.

Ngunga, que falava momentos depois de ter visitado o centro transitório de acolhimento de deslocados internos dos ataques terroristas de Palma, instalado no ginásio do complexo desportivo de Pemba, garantiu que as Forças de Defesa e Segurança (FDS) tinham o controlo da vila, o que está a permitir o regresso paulatino da população que se havia refugiado nas matas.

“Estamos aqui para manifestar a nossa solidariedade, mas também, como Governo, garantir-vos que as nossas FDS estão a fazer de tudo para que vocês possam regressar às vossas casas, brevemente”, disse Ngunga.

O centro transitório de acolhimento de deslocados internos dos ataques terroristas de Palma, criado há dez dias, alberga actualmente 110 adultos, entre mulheres e homens, e 94 crianças, também de ambos os sexos. Leia mais...

TEXTO DE ASSANE ISSA

Classifique este item
(0 votes)