As razões da extinção do INATTER

A falta de especialização técnica, financeira e os choques administrativos com a empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM) na gestão do sector ferroviário levaram o Governo a extinguir o Instituto Nacional de Transportes Terrestres (INATTER) e a criar o Instituto Nacional de Transportes Rodoviários (INATRO).

Segundo o porta-voz da instituição, Jorge Muiambo, a criação do INATTER visava regular, fiscalizar e supervisionar as actividades do sector de transportes rodoviários e ferroviários, entretanto, passaram 10 anos desde a sua criação sem que esta fosse capaz de implementar a componente ferroviária.

“Tínhamos os Caminhos de Ferro, donos das linhas e com todas as componentes operacionais na regulação da actividade, pelo que seria muito difícil regular uma coisa que já tinha a sua autonomia”, explicou.

Aquando da criação do INATTER estava previsto que a instituição iria absorver a componente ferroviária nas áreas de regulação económica, jurídica, técnica, inspecção e fiscalização, mas isso não aconteceu porque esta não dispunha de recursos para o feito. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)