Associações promovem replantio de mangais

A degradação do mangal, provocada pela mão humana, coloca o Cemitério da Texlom, no município da Matola, em risco de ser invadido pelas águas do rio Matola. Para evitar tragédias, decorre um movimento de restauração de mangais e acções de educação ambiental às comunidades.

Com efeito, duas associações - Natura Moçambique e Sathuma - estão a promover o replantio de mudas na zona da Matola-D, iniciativa que visa tornar resilientes as zonas habitacionais, comerciais e o Cemitério da Texlom.

No projecto inicial foram preparados cinco mil mudas de mangal, e os resultados levaram a NATURA a ampliar, este ano, o apoio à Associação Sathuma para a produção de 20 mil plantas de diferentes espécies, para além de assistir a agremiação na legalização, abertura de conta bancária e produção de piscicultura.

Pretende ainda estender o financiamento para a construção de um tanque piscícola para o desenvolvimento de actividades geradora de renda.

Até semana passada, previa-se a conclusão e enchimento de 20 mil sacos de viveiro para a produção de mudas para a restauração do mangal. Leia mais...

Texto de Benjamim Wilson

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)