ODE A UM MOSQUITO MUDO E INSOLENTE!

Nunca me ocorreu que um dia (aliás, uma noite), eu pudesse perder o meu rico e preciosíssimo tempo que me sobra na vida para dedicar-me a procurar a forma de desfazer-me de um bichinho tão insignificante e tão sem utilidade, mas, mais perigoso e mortífero do que o leão ou leopardo, a serpente, ou cobra Mamba, o tubarão, o hipopótamo, o búfalo ou o escorpião.

Mas eis-me a render- -me às evidências, como diz o sábio povo: Deus escreve direito em linhas tortas. Os especialistas em doenças altamente letais afirmam que, o bicho responsável pelo maior número de mortes de pessoas no mundo é um ser tão pequenininho e que muitas vezes não o tememos nem reservamo-lo o destaque que ele merece. Trata-se do mosquito em geral, mas particularmente a sua fêmea conhecida pelo nome científico de Anopheles. Apesar do seu tamanho, eu quero acreditar que não há um insecto mais chato (mais insolente) do que um mosquito zunindo no pavilhão da nossa orelha, ou tentando penetrar nas nossas narinas, sobretudo quando estamos quase a apanhar sono. Até parece uma provocação, pois antes do ataque o matreiro bichano fica sobrevoando a nossa cabeça, como para se certificar se ainda estamos ou não acordados, para poder “embebedar-nos” com os seus voos rasantes. Leia mais...

Por Kandiyane Wa Matuva Kandiya

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)