Um por cento dos moçambicanos tem deficiência visual ou cegueira

- Num país com apenas 33 médicos oftalmologistas, a catarata e o glaucoma continuam a ser as doenças oculares mais frequentes

J oão M. Cuna, 52 anos de idade, faz parte do grupo de doentes que recuperou a visão. Foi submetido com sucesso a uma cirurgia para a remoção da catarata. O primeiro sinal da vitória revelou-se ainda no bloco operatório quando disse a médica Mariamo Mbofana que já conseguia enxergar uma luz.

A catarata continua a ser a doença de vista mais frequente entre os moçambicanos. Dados estatísticos mais recentes indicam que pelo menos um por cento da população moçambicana vive com deficiência visual ou mesmo cegueira.

Há cerca de nove meses que João M. Cuna perdeu a visão quase na totalidade. O seu olho esquerdo, absolutamente, nada enxerga devido ao estado avançado de catarata. Enquanto isso, o direito, apesar de também estar afectado, ainda o permitia ter alguma visão.

Vestido de bata hospitalar de cor verde e sentado na ponta da cama, foi assim que domingo o encontrou na sala de espera do bloco operatório do Banco de Socorros do Hospital Central de Maputo. A sua expressão facial e corporal mostrava alguma ansiedade. Mas depois de alguns dedos de conversa com a sua médica, nota-se alguma serenidade.

Comerciante e líder religioso, viu todas as suas actividades comprometidas devido à perda de visão. Já não conseguia ler a bíblia nem atender os crentes. Leia mais...

Por Luísa Jorge

luíThis email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)