Decorreu entre 10 e 11 de Fevereiro corrente a trigésima segunda Cimeira Ordinária dos Chefes de Estado e de Governo da União Africana (UA). Durante a Cimeira ocorreu a transferência da presidência da organização continental, sendo que o Presidente do Ruanda, Paul Kagame, cedeu o posto de Presidente ao Presidente do Egipto, Abdel Fattah Al-Sisi. Facto admirável é que três dias depois da cimeira (14 de Fevereiro) Al-Sisi consegue a mesma façanha conseguida por Kagame, em 2015, a de alterar a constituição para se manter no poder até 2034. 

De facto, a onda de revisões constitucionais para a manutenção do poder até a década de 2030 foi iniciada por Kagame que em 2015 alterou a constituição estendendo a possibilidade da sua permanência no poder. Kagame conduziu um referendo dois anos antes do fim do seu segundo mandato (que deveria ser o último). O referendo resultou numa alteração de tempo do mandato de sete para cinco anos e estabeleceu um período transitório de sete anos (2017-2024), o que permitiu a Kagame concorrer para as eleições do período transitório e para mais dois mandatos de cinco anos previstos na constituição. Portanto, do ponto de vista constitucional Kagame pode ser presidente do Ruanda até 2034. 

Por seu turno, o Presidente do Burundi, Pierre Nkurunziza, depois de conseguir vencer as polémicas eleições de 2015 (seu terceiro mandato consecutivo que termina em 2020), conseguiu a revisão constitucional, em 2018, que altera o mandato do presidente de cinco anos para sete anos. A alteração constitucional permite-lhe concorrer para os próximos dois mandatos, por isso, se for eleito pode permanecer no poder até 2034. 

Texto:Paulo Mateus Wache*

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Leia mais...

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 61,11 62,29
ZAR 4,16 4,24
EUR 67,19 68,49

12.09.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 279 visitante(s) ligado(s) ao Jornal

+ lidas