Há vampiros nos “chapas”

Maputo é a capital do país. Em princípio, deve servir de exemplo - sobretudo para as boas práticas - para as outras cidades. Às vezes até o consegue. Outras tantas, falha redondamente. A culpa, já que não pode morrer solteira, arranja sempre companhia. Se não são as autoridades (in)competentes, o pacato cidadão adianta-se e apronta para valer…

Às vezes - muitas vezes mesmo - um gajo surpreende-se com a mão no queixo, olhos esbugalhados - com as coisas que acontecem por aqui… e nem vale a pena lembrar os tipos que rebentam os postes de iluminação (sobretudo aos fins-de-semana), os que queimam o lixo nos contentores, os que atiram bananas e garrafas dos carros em andamento, entre outras patifarias… é tanta coisa que alistar seria fastidioso para o amigo leitor.

Mas se surpresa só é surpresa quando surpreende, a última “incabável” vem dos chamados “modjêrus” - aqueles tipos que se esfalfam a valer para “angariar” passageiros para os “chapas”… os tipos estão mesmo avançados… é muita engenharia cerebral para sacar a mola dos pobres que se não fosse por ser real, até dava para arrancar risadas do mais sisudo do bairro.

E o que é que fazem os tais “modjêrus” para além de atrair passageiros para os carros?

Evoluíram… isso mesmo! Deram um passo em frente na evolução do trabalho que exercem com zelo e dedicação desde as primeiras horas do dia… agora, vendem lugares nos “chapas”. Ficou com o queixo caído? Kkkkkk é isso mesmo… vendem lugares.

Não é que Bula-bula no final do trabalho teve de ir tomar o “chapa” ali na Praça dos Trabalhadores para fazer os vinte e tal quilómetros de volta à casa e quase teve um AVC quando um “modjêru” cobrou uma taxa de 10 Meticais para ocupar um lugar nos autocarros. A primeira reacção foi de espanto e depois de raiva, mas o patife, com um sorriso amarelo e dentes cariados, bufou que só pagando os referidos 10 Meticais teria lugar. Acto contínuo percebi que outros tantos passageiros faziam mesmo isso e iam ocupando os lugares…

Durante a viagem o esclarecimento veio de um dos passageiros: agora os “modjêrus” ocupam os assentos e vendem-nos para os passageiros que depois têm de pagar o preço da viagem… é simplesmente terrível o que fazem esses vampiros, mas se perguntar não ofende, por onde andam os fiscais ou agentes municipais quando essas coisas acontecem?

A menos que a sua função única seja cobrar taxas e passar multas e a malta que se dane… lembrando que quando a fantasia é abandonada pela razão produz monstros.

Foto de Carlos Uqueio

Classifique este item
(0 votes)