Quem lê percebe e vê a vida em vários prismas. Atenta-se aos detalhes. Acelera o processo criativo e a comunicação. Quando isto é despertado desde a infância os benefícios são ainda maiores.

Fundamental na formação do indivíduo, o hábito de leitura na infância incentiva o desenvolvimento cognitivo. Aliás, “uma criança leitora será um adulto leitor, melhor esclarecido e mais tolerante. Igualmente capaz de questionar”, explica Pedro Pereira Lopes, escritor moçambicano e autor de quatro livros de literatura infanto-juvenil.

É necessário, no entanto, garantir que a leitura seja agradável às crianças e adolescentes. Por isso celebra-se, anualmente, a 2 de Abril, o Dia Internacional da Literatura Infantil. A data foi escolhida em homenagem ao nascimento do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, considerado o primeiro autor a romancear as fábulas voltadas especialmente para crianças.

A data serve igualmente de chamada de atenção sobre a importância da leitura e do papel dos livros para a infância.

Em Moçambique as crianças, das cidades e zonas rurais, têm pouco contacto com a leitura. Muitas delas chegam, inclusive, à idade adulta sem descobrir a importância da literatura. Outras não chegam a conhecer.

Com a falta de bibliotecas nas escolas primárias, poucas publicações de literatura infantil, que anualmente não passam de dez livros, o cenário é tenebroso. E cada vez mais desafios se impõem a todos para que se altere este cenário.

Texto de Maria de lurdes Cossa
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 61,72 62,95
ZAR 4,18 4,26
EUR 68,69 70,06

18.10.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 468 visitante(s) ligado(s) ao Jornal

+ lidas