Que seja para valer

O Gabinete Central de Recuperação de Activos (GCRA) já está a funcionar e, apesar de não ter muito tempo de acção, tem estado a provar que, sim, é possível despojar àqueles que enriquecem de forma ilícita dos bens móveis, imóveis e pecuniários.

São os primeiros passos que a Procuradoria Geral da República (PGR) está a dar rumo à tão almejada moralização da nossa sociedade que há muito clama por mudanças comportamentais dos gestores de dinheiros públicos, agentes da Polícia, entre outros funcionários e agentes do Estado.

Em entrevista que a sub-procuradora geral, Amélia Machava, nos concedeu e que publicamos na presente edição, foram nos revelados dados atinentes às apreensões feitas ao longo dos primeiros seis meses deste ano, que correspondem a algo em torno dos 512 milhões de Meticais.

Parece pouco, mas na mesma entrevista ficámos a saber que o GCRA é composto por apenas 10 técnicos que, por tanta especialização que tenham, não deixam de ser humanos. Os meios de que dispõem e o volume de trabalho também não lhes permitem fazer mais. Leia mais... 

Classifique este item
(0 votes)