Sim, Ívan, dos Rockfellers, foi-se!

Eram 09h12 (nove horas e doze minutos), da manhã, quando recebi a chamada do Moreira Chonguiça. Olhei para o celular e puxei o aparelho logo para o ouvido. Do outro lado percebi que a respiração era ofegante, diferente da normal. Mas, optimista que sou, até pensei… deve estar a ligar enquanto faz a caminhada ou exercícios. Mas desta vez estava enganado. A voz trémula, mas com presença, saudou-me. “Bom-dia, Freddy! Como estás? Ligo para te dar uma notícia triste. Morreu Ívan Velhanos, dos Rockfellers”.

Eu, bruscamente, assumi a respiração ofegante. Mas compus-me e respondi: “Inacreditável, irmão! Cortaste-me a espinha”. Ele disse: “Também sentí o mesmo quando recebi a informação. Cuide- -se, irmão!”.

Foi assim como a informação chegou- -me. E, ao longo do dia, fui lendo nas redes sociais até receber o comunicado final que me foi enviado por Xavier Machiana, amigo, companheiro e cúmplice de Ívan Velhanos, na criação do grupo de rock moçambicano que vincou durante anos a sua presença em palcos. Leia mais... 

Texto de Frederico Jamisse

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)