PARA MELHOR CUMPRIR SEU PAPEL: Bolsa de Valores precisa de entes de intermediação

– defendem economistas ouvidos pelo domingo que apontam soluções para dinamizar a instituição existente há 22 anos

E conomistas entendem que a fraca adesão de empresas à Bolsa de Valores de Moçambique (BVM), criada em 1998, pode ser resultado de conflitos de interesses entre as instituições de intermediações que são os bancos.

Segundo o economista Felizardo Samuel, um dos empecilhos da não adesão das empresas é a falta de informação sobre os benefícios da bolsa.

A bolsa conta com 12 operadores registados que são os bancos comerciais. Eles é que fazem a intermediação entre quem quer investir e a bolsa de valores. “Será que estes operadores fazem a divulgação destes serviços?”, questionou o economista.

É que, em sua opinião, os bancos também precisam dos mesmos clientes que deviam ir à bolsa. Eles podem não divulgar os serviços da bolsa porque isto pode conturbar a geração de lucros da banca. Por esta razão, entende que este trabalho deve ser feito por instituições próprias que vão procurar investidores e empresas que estão a vender acções. Leia mais...

Texto de Angelina Mahumane

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)