Os polémicos dólares da FIFA

- Desportistas falam de má gestão de fundos, Feizal Sidat diz que não presta contas a ninguém

A FIFA aprovou um pacote de um milhão de dólares norte-americanos para a Federação Moçambicana de Futebol (FMF) no quadro do apoio na retoma de actividades no âmbito da pandemia da covid-19.

Quinhentos mil dólares deste pacote, cerca de 35 500 000 Meticais, foram até ao momento endossados à FMF e desde então o caldo entornou-se.

Algumas associações provinciais e clubes acusam a FMF de falta de transparência na distribuição do “bolo”, apontando Feizal Sidat, o presidente, como pretendendo comer sozinho, em situações de conflito de interesses. Alegam que por consequência está a distribuir migalhas aos clubes.

Ponto absolutamente vital associa-se ao pagamento de dívidas. Qualquer coisa como 485.714 dólares do um milhão de dólares destinam-se à amortização das dívidas da FMF, quase a metade do fundo solidário da FIFA.

Ademais, dizem alguns desportistas que Sidat havia garantido em Maio último que pagou todas as dívidas do anterior elenco federativo, encabeçado por Alberto Simango Júnior. “Hoje, já perante os dólares da FIFA fala em pagar as mesmas dívidas. Ele meteu água quando pegou em parte de um milhão de dólares para o pagamento de dívidas do mandato anterior”, disse um membro de uma associação.

Deste modo, 34 milhões de Meticais serão encaminhados ao pagamento de dívidas deixadas pelo elenco passado.

Os clubes fincam-pé sobre este assunto e defendem que é inconcebível que metade do fundo solidário da FIFA sirva para pagamento de dívidas deixadas pelo elenco anterior.

CLUBES NÃO FORAM OUVIDOS

Algumas associações provinciais e clubes filiados sublinham que Feizal Sidat não quer ouvir ninguém na distribuição de dinheiro. Não está a par das prioridades de ninguém. Leia mais...

Texto de Bento Venâncio

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)