“A democracia e a inclusão não podem ser apenas palavras emblemáticas. Não haverá inclusão nem participação do cidadão na governação se cada um dos moçambicanos não tiver as mesmas oportunidades e acesso aos serviços básicos. Trabalharemos para o alcance desse desiderato para o povo, o meu patrão, afirmou o Presidente da República”, Filipe Nyusi no seu discurso após ter sido investido para o segundo mandato, 2020/2024.

Na sua intervenção, Filipe Nyusi destacou que o país necessita de um debate livre que respeite o pensamento e as liberdades de cada moçambicano. “A mentira, as ofensas e a violência verbal não constroem a democracia”. 

Neste sentido, o Chefe do Estado sublinhou que a democracia não é o direito de votar e escolher quem governa, mas é também um regime de diálogo e compromisso que deve prevalecer sempre que o interesse nacional estiver em causa.

“Há cinco anos, numa cerimónia como esta, eu anunciei que ia ser Presidente de todos os moçambicanos. Renovo esse compromisso e a promessa de trabalhar pelo Moçambique que todos sonhamos. A nossa agenda é desenvolver Moçambique, fazer que esse desenvolvimento não seja feito à custa da injustiça, da prepotência e da desigualdade”, sublinhou. 

Observou que o mandato que hoje se inicia será decisivo na história actual e no futuro do país como Nação. 

Continua remos a consolidar a paz, esta obra sempre inacabada que os moçambicanos tanto desejam.  O sonho está ao nosso alcance. O futuro pertence nos e depende de engajamento de cada um de nós. Que o perdão, a tolerância, a reconciliação e o sentido de pátria prevaleçam nos nossos corações, disse o Chefe do Estado.Leia mais...