Em Foco

TDM vai expandir rede de telecomunicações

A empresa Telecomunicações de Moçambique (TDM) necessita de investir para a modernização e expansão da sua rede de telecomunicações cerca de quatrocentos milhões de dólares norte-americanos, nos próximos três a cinco anos, de modo a melhor posicionar-se no mercado e reforçar os seus níveis de competitividade.

A concretização deste objectivo, anunciado durante a visita que o Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho do Rosário, efectuou na sexta-feira à TDM, está dependente da elaboração de um diagnóstico profundo sobre a situação actual da empresa.

Após esta fase, a empresa deverá elaborar um plano detalhado de investimento a ser apresentado ao Ministério dos Transportes e Comunicações, Ministério da Economia e Finanças e ao Instituto de Gestão das Participações do Estado (IGEPE), para análise e decisão final.

A visita do Primeiro-Ministro à TDM tinha como objectivo avaliar o grau de implementação do programa e dos trabalhos que a empresa está a executar, inseridos no contexto de desenvolvimento dos serviços das telecomunicações em Moçambique e todas as suas interligações com os países do interland para a transmissão de dados. 

As empresas de telefonia fixa foram afectadas pela entrada das de telefonia móvel, que hoje dominam o mercado. Por isso, a visita visa saber o quê e como é que a TDM está a fazer para se adaptar a esta nova realidade”, referiu o Primeiro-Ministro. 

Durante a visita, Carlos Agostinho do Rosário inteirou-se acerca do funcionamento de alguns departamentos técnicos e manteve um encontro com o Conselho de Administração, representantes sindicais e quadros seniores da empresa, que apresentaram os desafios, as preocupações e o ponto de situação da empresa. 

No final do encontro, o Primeiro-Ministro indigitou o Ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, para fazer o balanço da visita, durante a qual se constatou que a empresa enfrenta enormes desafios.

Segundo o Ministro dos Transportes e Comunicações, “a empresa tem de gerir bem e rentabilizar os seus recursos para reverter a situação deficitária em que se encontra”. 

Por isso, enfatizou Mesquita, “é preciso fazer um diagnóstico profundo da empresa, proceder a uma restruturação à medida do que é necessário, redimensionar a força de trabalho, avançar com o projecto de convergência entre a TDM e a mcel-Moçambique Celular, reduzir os custos operacionais e maximizar os resultados”.

À margem da visita do Primeiro-Ministro, foram igualmente referidas mudanças que recentemente foram operadas na gestão de topo da TDM, designadamente a nomeação de Mamudo Ibraimo para a função de administrador-delegado da TDM, em substituição de Zainadin Dalsuco, que entretanto cessou funções, e Virgílio Ferrão na qualidade de Presidente do Conselho de Administração, gestores que tomaram posse no passado dia 7 de Outubro, em resultado da deliberação dos accionistas da sociedade no decurso de uma assembleia-geral extraordinária realizada naquela data.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo