DestaqueEm Foco

Sonho com Moçambique em paz!

  • Aos 75 anos de idade e 43 de sacerdócio, Dom Francisco Chimoio partilha histórias da sua caminhada e das torturas sofridas na guerra dos 16 anos

Tudo indica que Dezembro é a sua sina. Nasceu em Dezembro. Foi ordenado padre em Dezembro. Foi raptado pela Renamo em Dezembro. Foi nomeado bispo em Dezembro… e pode passar à reforma em Dezembro, porque completa 75 anos de idade próximo mês, até porque o Papa Francisco nomeou, semana finda, Dom João Carlos Nune para coadjutor (bispo para ajudar e suceder).

Chama-se Francisco Chimoio, e é o actual arcebispo da Igreja Católica na Arquidiocese de Maputo. Aceitou o pedido do domingo para uma conversa, tendo como mote não só a comemoração dos seus 75 anos de vida, a 6 de Dezembro, como também os 43 anos de sacerdócio.

Com uma memória de causar inveja, conta na primeira pessoa as peripécias por que passou – espancamento e ameaças de morte – quando em 1981 caiu nas malhas da Renamo, no distrito de Morrumbala, na Zambézia, onde o pior só não aconteceu por aquilo que considera milagre divino.

Partilha as carências vividas na infância em Búzi, sua terra natal, quando perdeu o pai aos seis anos, passando pelo seminário até a sua consagração como bispo. Passe o tempo que passar, o seu sonho continua o mesmo: ver Moçambique em paz.

Completa, em Dezembro próximo, 75 anos de idade e 43 de sacerdócio. Conte-nos como tudo começou.

Nasci no dia 6 de Dezembro de 1947, no distrito de Buzi, em Sofala, numa família de 11 filhos. Dos homens sou o último e apenas eu e a minha irmã mais nova estamos vivos. O meu pai morreu quando eu tinha seis anos e a minha mãe aos meus 19.  Leia mais…

ANTÓNIO MONDLHANE,
antonio.mondlhane@snoticias.co.mz

Fotos de Carlos Uqueio

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo