Em Foco

MOÇAMBICANOS ENALTECEM EMPENHO DA PRIMEIRA-DAMA

Cidadãos moçambicanos baseados na Coreia do Sul enalteceram o empenho da Primeira-Dama, Maria da Luz Guebuza, em prol das pessoas carenciadas no país. O sentimento foi manifestado esta semana, em Seul, durante um encontro que Maria da luz Guebuza manteve com os cidadãos moçambicanos residentes neste país asiático.

O envolvimento da esposa do Presidente da República na assistência às crianças, idosos e mulheres em situação precária, bem como a sua actividade no sector de Saúde, particularmente no combate ao cancro do colo do útero, da mama e da próstata, HIV/SIDA e malária, são algumas das acções destacadas pelos moçambicanos residentes na Coreia.


Neste contexto, pediram à Primeira-Dama no sentido de, mesmo depois de sair do gabinete, possa continuar a realizar as acções em que está envolvida.
Numa mensagem apresentada na ocasião, os moçambicanos na diáspora informaram que o governo coreano tem feito o suficiente para que estes sintam confortáveis neste país.

No caso dos estudantes, segundo sublinharam, “estão criadas as condições adequadas para uma boa aprendizagem. O sistema educacional é um dos melhores. Temos bons docentes e o material didáctico em quantidade e qualidade desejada”, explicaram, prometendo que “teremos bons resultados”.

Em resposta, Maria da Luz Guebuza incentivou os concidadãos a se aplicarem nos estudos para responderem às exigências da actual dinâmica do desenvolvimento do país.

Explicou que Moçambique vive hoje um momento de euforia devido à descoberta de recursos minerais e hidrocarbonetos, carvão, gás, entre outros, em quantidades muito significativas, o que exige uma mão-de-obra qualificada para os projectos de exploração.
Estudem. Queremos que vocês tenham domínio da ciência para poderem desenvolver o país”, recomendou a Primeira-Dama, frisando que Moçambique tem vindo a crescer ao ritmo acelerado, numa média anual de sete por cento.

Contudo, Maria da Luz Guebuza explicou que o desenvolvimento que se regista no país não tem haver ainda com os recursos minerais e hidrocarbonetos, pois estes apenas foram descobertos há pouco tempo.

No caso de carvão só no ano passado é que começou a ser exportado e o gás da bacia do Rovuma, nem sequer começou a ser explorado,”, explicou, anotando que existem muitas outras áreas responsáveis por esse desenvolvimento, como, por exemplo a agricultura e a pecuária.

Por isso, vamos continuar a nos dedicar à área de agricultura para uma maior produção e produtividade”, instou a Primeira-Dama, acrescentando que o Governo tem estado a apostar nestas áreas, contando, agora, com a cooperação de países como China, Japão, entre outros.

Exortou os seus compatriotas para que, no seu convívio com os coreanos ou companheiros de outros países, promovam a imagem de Moçambique e as potencialidades turísticas que possui.

No total são sete, os moçambicanos que vivem na Coreia, dos quais cinco estudantes de cursos superiores (licenciatura e mestrado), outros trabalhadores. Destes, participaram no encontro seis moçambicanos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo