Em Foco

Fim da caça ao voto com desfiles no Niassa

O encerramento, hoje, da campanha eleitoral vai agitar a província de Niassa, com destaque para a capital provincial, para onde, os três principais partidos, Frelimo, Renamo e MDM, se vão convergir em “showmícios e desfiles.

Com efeito, o maior partido moçambicano, no poder, organizou-se durante toda a semana finda para realizar um mega-showmício, no populoso bairro de Nomba, uma zona, segundo os resultados dos pleitos anteriores, “escorregadia” para os camaradas.

Sobre o assunto, uma fonte da Frelimo justificou que a escolha do local para a festa do encerramento da campanha, tem a ver, precisamente, com a necessidade de convidar os indecisos a votar na Frelimo e no seu candidato Filipe Jacinto Nyusi, no próximo dia 15 de Outubro próximo.

Enquanto isso, o Movimento Democrático de Moçambique, MDM, preferiu promover uma marcha pelas principais artérias da cidade de Lichinga e pelos bairros mais populosos, acção que é justificada pelo facto de esse dia, o último, servir de mais uma campanha de “caça” ao eleitorado, principalmente aos que durante os 45 dias se “distraíram” com actividades pessoais.

Finalmente, o maior partido da oposição vai exibir a sua pujança política no bairro de Chiuaúla, concretamente no campo do Ferroviário de Lichinga, com um comício para, segundo fontes da direcção política provincial, festejar a vitória que conduzirá, pela primeira vez, Afonso Dhlakama à Ponta Vermelha.

DEPOSITAR VOTO CONSCIENTE

Para além de pedir o voto para si e para o seu candidato Filipe Jacinto Nyusi, a Frelimo privilegiou na última semana de campanha a educação cívica, instando os eleitores a irem votar, em massa, na próxima quarta-feira, dia 15.

Segundo o membro da comissão política da Frelimo e chefe da brigada central deste partido que assiste a província de Niassa, Carvalho Muária, não basta apenas depositar o voto nas urnas, mas mais do que isso, o importante é saber votar, escolhendo um partido e presidente capazes de, quando eleitos, resolverem os problemas por que passa a maioria da população moçambicana, no seu dia-a-dia.

NINGUÉM VAI NOS

TIRAR A VITÓRIA FINAL

A Renamo, o maior partido da oposição, já canta vitória. Os seus responsáveis replicam, no terreno, a azáfama do seu líder, garantindo que estas eleições estão ganhas há muito tempo, sustentando o seu optimismo pelo facto de nas últimas semanas ter invertido o cenário de campanha com a adesão de muitos simpatizantes às suas caravanas.

MDM “NAMORA” COMBATENTES

Um fenómeno novo aconteceu esta semana no Movimento Democrático de Moçambique, MDM. Trata-se da tentativa de conquistar os combatentes da luta de libertação nacional. Depois de um ensaio, com sucesso, encetado por Daviz Simango, no posto administrativo de Cóbwè, distrito do Lago, cedo, os apoiantes do “galo” aperceberam-se que era possível penetrar num “reino” até então considerado por muitos “zona intocável”.

Nas suas incursões, o MDM promete aos libertadores da pátria a solução dos seus problemas de pensões em apenas seis meses, depois de eleitos no próximo pleito eleitoral. “Até que enfim apareceu um homem que quer, finalmente, resolver os nossos problemas de pensões”, disse Calide Samir, um combatente que garante voto ao MDM e ao seu candidato Daviz Simango.

André Jonas

andremuhomua@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo