Em Foco

Arranca amanhã o ano lectivo de 2013

As autoridades da Educação garantem que está tudo a postos para o arranque, amanhã, do ano lectivo de 2013, em todo o país. Para o ensino primário, os livros de distribuição 

gratuita já se encontram nos estabelecimentos de ensino, esperando-se assim que nos primeiros dias os alunos tenham acesso a este material. Apuramos ainda que, para o caso da cidade de Maputo, foram reabilitadas escolas secundárias, em números não especificado, e construídas escolas primárias de raiz, todas elas apetrechadas.

 

O director da Educação e Cultura da cidade de Maputo, Antonino Grachane, lamentou o facto de os encarregados não terem realizado matrículas a tempo e horas, sobretudo no que diz respeito às vagas direccionadas, o que pode transtornar o arranque, amanhã, do ano lectivo.

Na cidade de Maputo, ainda existem escolas com vagas disponíveis para a sexta, oitava e décima primeira classes. Em relação à primeira classe, os estabelecimentos de ensino localizados no centro da cidade esgotaram as vagas abertas logo que iniciou o processo de matrículas, no passado mês de Outubro, os da periferia, ainda continuam com lugares abertos. domingo soube que estas escolas continuam com vagas sobretudo na 1ª classe, porque os pais e encarregados preferem escolas como 3 de Fevereiro, Samora Machel, 16 de Junho, entre outras, em detrimento daquelas.

Há casos de encarregados que preferem “comprar” vagas só para não matricular os filhos nas escolas dos bairros.

Entretanto, dados em nosso poder indicam que o Ministério da Educação (MINED) disponibilizou para a primeira classe cerca 24 mil vagas, só na cidade de Maputo, das quais foram ocupadas cerca de 18 mil, estando ainda disponíveis mais de seis mil, o que corresponde 75 por cento da meta estabelecida para o presente ano lectivo. 

Enquanto isso, para a sexta classe são cerca 26 mil vagas. Foram inscritos apenas oito mil, continuando ainda por preencher mais de 17 mil vagas, para o curso diurno, representando a execução em 31 por cento. Na oitava classe, foram abertas mais de 16 mil vagas, sendo que continuam disponíveis mais de sete mil vagas, ou seja, foram inscritos pouco mais de nove mil alunos, o que representa 56 por cento.

Na décima primeira classe continuam em aberto cerca de duas mil vagas, de um total de sete mil. Foram inscritos perto de cinco mil alunos para o presente ano lectivo, o equivalente a uma realização de 70 por cento.

No curso nocturno, a situação é bem pior. Na sexta classe foram matriculados apenas 33 alunos, num universo de mil e 500 vagas abertas para o presente ano lectivo. Para a oitava classe, das mais de 11 mil vagas existentes, apenas 173 estudantes foram fazer matrícula.

Ainda no curso nocturno, na décima primeira classe foram matriculados apenas 199 alunos, contra cerca de cinco mil esperados para este ano lectivo e no ensino à distância estão disponíveis perto de duas mil vagas, para alunos que não conseguiram se inscrever para ter aulas presenciais.

 

REPROVAÇÕES NA 10ª CLASSE

 

Segundo Antonino Grachane, a décima classe foi uma das que registou um grande número de reprovações, o que contribuiu para a fraca absorção de novos ingressos, uma vez que grande parte dos alunos não conseguiu transitar e muitos deles estão em idade de frequentar o curso diurno.

“Tínhamos previsto que certo número de alunos deveria ter saído no ano passado, no entanto, verificaram-se muitas reprovações, dai que fizemos uma grande ginástica para encaixar os estudantes. Houve casos em que determinado aluno frequentava um estabelecimento de ensino, mas viu-se obrigado a sair para outro”, disse o director da Educação da cidade de Maputo.

A abertura oficial, a nível da cidade de Maputo, será realizada na Escola Secundária Francisco Manyanga, onde serão premiados os melhores professores e alunos, que se destacaram durante o ano lectivo de 2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo