Editorial

Que a Covid-19 dê tréguas

Estamos no segundo dia de 2022. E porque até ao dia 5 de Janeiro ainda se festeja o Natal, gostaríamos que este ano a SARS-CoV-2 desse tréguas, para que as crianças possam voltar a cumprir o calendário normal de aulas e, por conseguinte, absorverem todas as unidades temáticas.

Dois anos de condicionalismo ao processo de ensino e aprendizagem, não obstante toda a engenharia desenhada e implementada pelo Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano para que os alunos continuassem a ter aulas, começa a ser um fardo bastante pesado para atingirem a excelência nas classes subsequentes.

O sector do turismo, também ele duramente penalizado em função da pandemia, precisa de arejar para que os operadores possam ter musculatura para continuar a apostar neste sector nevrálgico para a economia, daí os nossos votos de 2022 melhor.

Para o sector da saúde, a nossa expectativa é que o exército de homens e mulheres que desde há dois anos a esta parte vem dando o melhor de si para salvar vidas face à Covid-19 continue a trilhar pela deontologia e humanismo. Aliás, reconhecemos o esforço gigantesco destes profissionais, que em nenhuma situação baixam os braços, apesar do número de novos casos de contágio estar em crescendo e ter atingido trinta médicos, nos últimos dias , só no Hospital Central de Maputo. Leia mais…

Foto de de Inácio Pereira

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo