Economia

Gaza dinamiza grandes projectos de desenvolvimento

A província de Gaza tem como principais desafios, a partir do próximo ano, a exploração das areias pesadas do Chibuto e a implantação da Zona Económica Especial de Agro-negócios do Limpopo.

Segundo Raimundo Diomba, governador de Gaza, a exploração das areias pesadas de Chibuto será um projecto âncora de outros médios e pequenos projectos à sua volta, enquanto da zona económica especial se espera tirar melhor proveito dos incentivos fiscais.

Diomba considera também que a conclusão da estrada que liga Caniçado, no distrito de Guijá, ao distrito de Chicualacuala, o desenvolvimento de acções para a construção da barragem estratégica de Mapai e do Aeroporto Internacional de Xai-Xai, como alguns dos grandes desafios para o ano 2015.

domingoapurou que a província de Gaza prevê uma produção global de 44 milhões e 461 mil meticais a ser influenciada significativamente pela contribuição dos sectores de agricultura, pescas e aquacultura, respectivamente, contrariamente à comparticipação feita pelo comércio a retalho, transportes e armazenagem no presente ano em que a produção global apenas atingiu pouco mais de 39 milhões.

Segundo o responsável provincial do Plano e Finanças em Gaza, Romana Beulana, há confiança em se ter um crescimento acima de cinco por cento, o que equivale a pouco mais de 32 milhões de meticais, no sector agrícola, como resultado dos investimentos, que estão a acontecer, em infra-estruturas deste sector, no âmbito do programa pós-cheias.

Por outro lado, a Província de Gaza vai produzir pouco mais de três toneladas de comida com enfoque para a mandioca, batata-doce, milho, melancia, tomate e arroz.

Para se dinamizar a produção, o sector vai aprovisionar sementes, pesticidas, estacas de mandioca e kits de agro-químicos. Está prevista a aquisição de sete motobombas para irrigar os campos de Guijá, Massangena, Mabalane e Chicualacuala, construir oito barragens de terra para se armazenar água para consumo de animais e irrigação, estabelecer 160 hectares de regadios de pequena escala e produzir mais de 210 mil mudas de cajueiros a beneficiarem cerca de 62 mil produtores.

Romana Beulana referiu ainda que em Bilene-Macia será instalado um centro de agronegócios e que em Mandlakadzi, Chibuto e Guijá vai-se produzir plântulas de hortícolas, potenciando-se cinco estufas. As acções serão acrescidas por apoios a mais de 20 mil produtores no incremento de cadeias de valores.

A nossa Reportagem apurou que para se explorar de forma sustentável os recursos florestais, serão produzidas mais de um milhão de plantas florestais e incentivadas campanhas radiofónicas sobre gestão participativa dos recursos naturais.“Para o programa integrado de transferência de tecnologias agrárias, prevemos adquirir 30 mil pintos, abrir 90 hectares de campo, dez tanques piscícolas e fazer currais e colmeias” disse Romana Beulana

A propósito da piscicultura, as Pescas em Gaza vão produzir 79 toneladas de pescado, abrir dez tanques de demonstração e de 56 réplicas para além de reabilitar 258 tanques e comprar ração para peixes e alevinos. Prevê-se, também que se capacite técnicos em processamento de pescado e que se licencie três embarcações de pesca semi-industrial e artesanal.

Entretanto, estima-se que o sector da indústria e comércio em Gaza vai promover e monitorar mais de uma centena de feiras agrícolas e de agro-processamento nos diferentes distritos e reservar espaços para parques industriais em Bilene, Xai-Xai e Mandlakadzi. “Prevemos também controlar e exportar 50 mil toneladas de produtos locais”, referiu Romana Beulana.

Artur Saúde

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo