Economia

Falta de chuvas prejudica campanha agrícola

A produção na campanha agrícola 2011-2012, em Boane, província de Maputo, foi negativamente afectada por oscilações da precipitação, uma vez que houve chuvas normais em alguns 

períodos, mas na maior parte do tempo esta situou-se abaixo do normal. Por isso, em termos de áreas lavradas e semeadas, verificou-se um retrocesso em cerca de 21 por cento, em relação à campanha anterior.

Dados em nosso poder indicam que foram cultivados e semeados mais de 33 mil hectares de diversas culturas, dos quais cerca de 552 hectares foram perdidos. Os factores que influenciaram para esta perda foram principalmente os ciclones “Fundzo” e “Dando”. Houve também a ocorrência de outras situações adversas, como pragas.

Na área cultivada, produziu-se mais de 162 mil toneladas de produtos diversos, sobretudo hortícolas e fruteiras, o correspondente a 79 por cento do planificado para a época em análise.

O que contribuiu, em grande medida, para que o distrito não ficasse longe das metas traçadas no que diz respeito à produção, foi a venda subsidiada de sementes diversas, ao preço de 14 meticais por quilograma. Nesse sentido, no âmbito da divulgação da batata-doce de polpa alaranjada foram distribuídas mais de nove mil toneladas que beneficiaram a cerca de 1200 famílias.

Ainda durante a campanha passada, as principais pragas que ocorreram foram de gafanhoto-elefante, broca-de-colmo e lagarta invasora que devastaram uma parte da produção de milho. A mosca branca atacou por sua vez a produção de tomate, entre outras culturas.

Na presente campanha 2012-2013, treze extensionistas participam na divulgação de tecnologias agrárias melhoradas no distrito. O grupo já assistiu mais de nove mil famílias. Ainda no âmbito da melhoria da produção, 49 produtores beneficiaram de formação em matérias de agricultura de conservação, tratamentos fitossanitários e adubação orgânica. Igualmente, foram formados seis extensionistas e 36 produtores no curso de conservação de sementes.

As autoridades da Agricultura em Boane disseram à nossa Reportagem que as chuvas que têm caído nos últimos dias chegam antes do período esperado, pois encontram muitos camponeses ainda em fase de preparação dos campos para o início das sementeiras. Quando caíram as primeiras chuvas, que excederam os 100 milímetros, alguns dos camponeses iniciaram com a sementeira, mas outros ainda estavam a cultivar os terrenos. “Depois das primeiras chuvas, notou-se que já não davam tempo para aumentar as áreas. É preciso que o terreno esteja em condições para entrar lá o tractor ou a enxada. Por esse motivo estamos ter chuvas sem grandes culturas no terreno, devido à intensidade e frequência com que está a cair”, disse Zeferino Cavele, Administrador de Boane.

Dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INAM) indicam que para os meses de Outubro, Novembro e Dezembro, a zona sul do país terá chuvas abaixo do normal. No entanto, neste período, estão a cair chuvas acima do normal, o que levou o Governo distrital a incentivar os camponeses a iniciar a sementeira, tanto nas zonas baixas como nas altas.

 Os camponeses foram orientados no sentido de optarem por culturas de ciclos curtos que se desenvolvem rapidamente, designadamente, milho, feijão e amendoim.

Como resultado das chuvas que caíram antes do tempo previsto pelos produtores, registaram-se alguns prejuízos numa área de cerca de 50 hectares, onde ainda havia culturas da segunda época da campanha 2011-2012, principalmente, a batata. Os agricultores tiveram que acelerar a colheita. Parte desta batata era para ser colhida e vendida durante a quadra festiva que se aproxima, pois, os camponeses acreditam que os preços seriam um pouco mais elevados em relação aos que estão a ser praticados actualmente.

A directora das Actividades Económicas em Boane, Carla Albino, disse que, no sector familiar, as chuvas são bem vindas, pois é possível encontrar milho em fase bem avançada de desenvolvimento vegetativo e se continuar assim, dentro de mais alguns meses poderão ter uma boa colheita. “Se a chuva continuar assim, temos muito boas expectativas em relação à cultura do milho, mandioca, batata-doce de polpa alaranjada”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo