Economia

EDM acumula prejuízos

Fotos de Carlos Uqueio

As chuvas intensas que têm caído nas regiões centro e norte do país estão a destruir diversas infra-estruturas, com destaque para torres de transmissão de energia da empresa Electricidade de Moçambique (EDM), o que resulta na acumulação de prejuízos, devido, entre outros, aos cortes de energia que têm sido frequentes.

Com a intensificação da queda das chuvas, as águas do rio Licungo atingiram níveis elevados, provocando a queda da torre de travessia do rio da linha centro- norte de transporte em Alta Tensão (220 kV), localizada na margem sul em Mocuba e, por arrastamento, a queda também de mais nove torres.

Esta situação resultou na interrupção do fornecimento de energia eléctrica a partir da subestação de Chimuara, afectando as províncias da Zambézia, Nampula, Cabo Delgado e Niassa, num total de 300 mil consumidores domésticos, gerais e industriais.

Na cidade de Quelimane, foi restabelecido o fornecimento de energia eléctrica, sendo que, toda a região centro e norte à jusante de Nicoadala permanece sem energia da Rede Eléctrica Nacional. Fontes alternativas têm permitido o fornecimento de energia às cidades de Cuamba e Lichinga, embora com muitas restrições em virtude da limitação das capacidades existentes localmente.

Outro distrito que se viu privado da corrente eléctrica em resultado da queda de postes das linhas eléctricas de Média Tensão foi Gilé, na província da Zambézia, situação que se normalizou com a pronta intervenção da empresa EDM.

domingoapurou que a intransitabilidade das vias de comunicação e prevalência das chuvas intensas neste momento, têm dificultado as acções em curso visando o restabelecimento do fornecimento de energia, designadamente o transporte de material e a realização dos trabalhos nos locais em que as torres tombaram.

Não obstante as difíceis condições que caracterizam a situação nas zonas afectadas, a EDM está a trabalhar com vista à rápida reposição da normalidade deste serviço vital para o público.

Segundo apurámos, para Nampula não existe nenhuma alternativa. Em Nacala, a EDM está a trabalhar para pôr em serviço a central de ponta que foi instalada. Mesmo assim ainda não é possível precisar o tempo certo de duração das obras de reposição, porque o grande problema é alcançar o corredor das torres para reparar.

Com este corte, a eléctrica moçambicana está a acumular prejuízos na ordem 10 milhões de meticais diários, e, para a reparação das torres danificadas serão necessários pelo menos 50 milhões de meticais.

O Ministério da Energia apelou aos consumidores de energia eléctrica, que sejam titulares de casas e edifícios que tenham sido atingidos pelas cheias, no sentido de, logo que as condições o permitirem, procederem à verificação minuciosa do estado das respectivas instalações eléctricas, de forma a evitar a ocorrência de acidentes no momento do restabelecimento do fornecimento de energia eléctrica.

O Governo da República de Moçambique, através do Ministério da Energia, manifestou a sua solidariedade para com as pessoas afectadas por esta situação dramática, estando a envidar todos os esforços, com vista à mitigação dos efeitos desta calamidade no domínio do fornecimento de energia eléctrica, bem como ao restabelecimento deste serviço indispensável para a vida dos cidadãos e para o país, agradecendo a compreensão por parte dos consumidores, por se tratar duma situação imprevista e de proporções acima do normal.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo