DesportoDestaque

TAÇA COSAFA: Moçambique e Senegal batem-se pelo bronze

A Selecção Nacional de Futebol, “Mambas”, joga hoje, no Moses Mabhida Stadium, pelas 15.30 horas, diante da sua similar do Senegal, para o apuramento do terceiro e quarto classificados da Taça COSAFA em curso na cidade sul-africana de Durban. Moçambicana vai lutar pela sua quarta medalha de bronze nesta competição, depois de ter conquistado em 1997, 2004 e 2009.

Ano passado, Moçambique falhou a oportunidade de se tornar o terceiro melhor classificado do torneio, após perder diante do vizinho Eswatini, por 4-2, na lotaria das grandes penalidades, depois do 1-1 nos 90 minutos.

O combinado moçambicano perdeu nas meias-finais na sexta-feira, frente a Namíbia, por 0-1, e hoje volta a cruzar com o mesmo o adversário com quem jogou e perdeu (0- 1), no dia 9 de Julho de 2021, no Nelson Mandela Bay Stadium.

O Senegal foi eliminado pela Zâmbia por 3-4.

Independentemente do desfecho deste jogo, a estrutura organizativa desta competição assegurou que já estão garantidos os 100 mil randes destinados ao quarto classificado da tabela final, enquanto que ao primeiro classificado caberá receber o valor de quinhentos mil randes; o segundo 250 mil randes e o terceiro 150 mil.

Para hoje, o Sugar Ray Xulu Stadium irá acolher as partidas entre as selecções da África do Sul e Botswana (10.00 horas), referente ao “Plate Final”, isto é, os melhores posicionados entre os eliminados nos quartos-de-final. O “Plate Final” foi introduzido em 2013, na edição acolhida pela Zâmbia, tendo sido Moçambique o vencedor, ou seja, o melhor posicionado entre os eliminados.

O grande momento do dia está reservado para a final inédita que irá colocar frente-a-frente a Namíbia e Zâmbia, quando forem 19.00 horas, no Moses Mabhida Stadium.

Importa relembrar que Moçambique e África do Sul entraram directamente para os quartos-de-final da prova por força do seu “ranking” no torneio. Outras selecções nacionais isentas da fase de grupos foram Namíbia, Madagáscar, Zâmbia e a convidada Senegal.

TEXTO DE RAIMUNDO ZANDAMELA, EM DURBAN

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo