DesportoDestaque

MEMÓRIA: São Vitorino

O avançado Cremildo Gonçalves já tinha sido responsável pela indicação para a contratação pela Académica de vários jogadores do bairro do Aeroporto, Chamanculo e Mafalala para as camadas de formação, numa altura em que Daniel Aleluia era o responsável pela formação e treinamento. Sacurito, Sergito, Jerry, Januário, Pelembe, Brito e João Ouana foram alguns desses meninos, que acabaram por dar “cartas” no futebol sénior.

Em 1976, a Selecção Nacional, em preparação para um jogo com a Tanzânia, defrontou a selecção de futebol corporativo (trabalhadores), onde jogava Vitorino Jumisse, que trabalhava no Corpo de Salvação Pública. Enfrentou avançados como Sitói, Ângelo Jerónimo e Cremildo. Esteve bem.

Cremildo voltou a ter influência na contratação de outros jogadores e, nessa oportunidade, impressionado pelo potencial e exibição de Vitorino apressou-se a contactá-lo. Mais tarde, veio a saber que o defesa era irmão de Tomás Jumisse, que jogava no Costa do Sol, depois de ter evoluído no Atlético.

No início da época de 1977, Cremildo foi aos “bombeiros” para convencer Vitorino a ingressar na Académica, onde esteve dois jogos a suplente, à espera de conquistar o lugar que era ocupado por Aurélio e Luís Figueiredo, que actuavam na zona central da defesa. Numa partida realizada no então chamado Paulino Santo Gil (Desportivo), Luís Figueiredo foi expulso. Dessa partida em diante, Vitorino foi titular por duas épocas consecutivas na equipa “estudantil”. Leia mais…

Por Joca Estêvão
joca.estevao@snoticias.co.mz

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo