DestaqueSociedade

EM MANICA: Prostituição infantil preocupante

A prostituição infantil está atingir níveis alarmantes em Chimoio, capital da província de Manica. Para além do registo de uma nova faceta do trabalho de sexo, o envolvimento de crianças do sexo masculino, mães de famílias e cônjuges encontram na venda do sexo uma fonte de sustento do lar. Os bairros “Madrinha” e Lar do Bagamoyo são palcos desse fenómeno.

As autoridades estão cientes do problema, mas ainda não encontraram formas profícuas de conter o número de menores que afluem ao mercado do sexo. Enquanto isso, as instituições ligadas à defesa dos direitos da criança, em geral, e da rapariga, em particular, estão empenhadas em travar especialmente as uniões prematuras, as gravidezes precoces.

RENDA DA FAMÍLIA

Angélica, nome fictício que atribuímos a uma adolescente de 16 anos de idade, é mãe de outra criança de dois anos, que a concebeu aos 13 e a trouxe à luz aos 14 anos. Diz que jamais abandonará a prática porque lhe garante o sustento.

Amiga da cerveja e do cigarro, Angélica afirma ter intenção de envolver mais jovens da sua família na actividade, incluindo os do sexo masculino. Conforme disse, está a preparar o seu irmão mais novo, de apenas 11 anos, para começar a interessar-se pela prostituição masculina, porque há cada vez mais mulheres que procuram homens mais jovens.

Esta adolescente vive com o marido e afirma que vai continuar a prostituir-se, por ser uma das fontes de geração de renda para a sua família. Leia mais…

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo