DestaqueSociedade

CRIMINOSOS À SOLTA NA MATOLA: “Acordos de Lusaka” vive aterrorizado

  • Moradores acusam PRM de inércia, mas esta diz estar a trabalhar

Assassinatos e roubos na via pública e em residências fazem o dia-a-dia dos moradores do bairro Acordos de Lusaka, no município da Matola, província de Maputo. Nos últimos dias, são múltiplos os relatos de violação sexual, corpos abonados, um cenário que está a gerar medo no seio dos residentes das proximidades do Estádio da Machava.

É desta feita que quase todos os residentes do quarteirão 21, por exemplo, têm uma história para contar sobre a actuação dos criminosos.

Mariana Bila, residente do quarteirão 21 do bairro Acordos de Lusaka há mais de 20 anos, conta que, ao anoitecer, principalmente, nesta época de Inverno, é perigoso sair à rua, porque os malfeitores começam a actuar. “Neste bairro vivemos com medo, porque os bandidos roubam e matam de dia e de noite. Há pouco mais de duas semanas os recolectores de lixo descobriram o corpo de um jovem, de aparentemente, 30 anos. Quando nos aproximámos, percebemos que não era desta zona”, afirmou.

A entrevistada acredita que o jovem tenha sido assassinado num outro local e o corpo transladado para aquele sítio por ser um terreno baldio. Explicou que este não é o primeiro caso de abandono de corpo este ano. No primeiro trimestre, foi encontrado um cadáver de uma jovem, numa machamba, perto do Estádio. “A moça foi antes violada. Ninguém conseguiu reconhecer o corpo”, relembra.

Para Mariana, a falta de patrulhamento policial no bairro, especificamente no quarteirão 21, é uma das razões da frequência de casos criminais. Por isso, pede a intervenção da Polícia da República de Moçambique (PRM). “Queremos que a Polícia seja mais vigilante e que haja patrulha de dia e de noite. Estamos cansados de sofrer no bairro”, desabafa. Leia mais…

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo