Desporto

Selecção prepara “Afrobasket”

A Federação Moçambicana de Basquetebol já está a preparar a eliminatória de apuramento ao Campeonato Africano sénior masculino agendado para Agosto próximo na Tunísia e também a fase final dos Jogos Africanos a ter lugar no Congo-Brazzaville (República Democrática do Congo), em Setembro.

Com efeito, a selecção nacional será convocada esta semana para iniciar a preparação da única eliminatória a disputar com o Botswana, uma vez o outro integrante do grupo, Swazilândia, ter desistido.

O primeiro embate terá lugar no Dia dos Namorados – 14 de Fevereiro –, em Maputo, e o jogo de retribuição a 28 do mesmo mês, em Gaborone.

A participação de Moçambique no Afrobasket da Tunísia, de 29 de Agosto a 12 de Setembro, está praticamente garantida, faltando apenas a respectiva confirmação, uma vez a selecção do Botswana ser um pera-doce.

De resto, é tendo em conta o desnível entre as duas selecções que o combinado moçambicano ainda não se concentrou para preparar os dois jogos.

Tal como referiu o presidente da FMB, Francisco Mabjaia, só uma hecatombe pode afastar Moçambique da competição continental.

– Sabidas as datas desta eliminatória, vai iniciar o trabalho de preparação. Para a qualidade de basquetebol do Botswana não vamos precisar de grande esforço, o tempo que resta até lá será suficiente para encarar o adversário. Com todo o respeito que temos pelo Botswana, julgo que é justo assumir que a nossa qualificação é um dado adquirido para este evento.

Por isso, o verdadeiro desafio para a federação nacional é mesmo preparar a participação moçambicana no campeonato da Tunísia.

– O desafio maior é preparar a selecção nacional para as duas competições, elaborar o plano de preparação que certamente vai incluir alguns estágios no estrangeiro e um programa intenso de preparação no país.

Depois da eliminatória frente ao Botswana, a selecção masculina vai iniciar a preparação do “Afrobasket” e também dos Jogos Africanos, competição para a qual o país já está qualificado, fruto do segundo lugar conquistado em 2011 na cidade de Maputo.

– As selecções nacionais vão iniciar a preparação em finais de Maio ou início de Junho, uma vez decorrerem as competições provinciais e depois teremos os campeonatos nacionais em Abril e Maio.

Este ano, para além dos seniores masculinos e femininos, está prevista a participação de Moçambique nos campeonatos africanos de Sub-16 em ambos sexos.

Em femininos, depois duma prestação vistosa no Campeonato do Mundo disputado na Turquia, a federação espera terminar os Jogos Africanos numa posição de pódio que permita a qualificação aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Para além dos Jogos Africanos, o combinado feminino vai disputar o Campeonato Africano nos Camarões, de 5 a 11 de Outubro.

– Em femininos, vamos tentar a qualificação para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Num passado recente dissemos que o objectivo era o Campeonato do Mundo e conseguimos estar presentes nesse grande evento, o nosso desafio agora é colocar Moçambique nos Jogos Olímpicos e podemos conseguir essa meta se trabalharmos muito.

Internamente, conforme refere o nosso entrevistado, a federação deseja uma maior participação e competitividade nos campeonatos nacionais séniores de masculinos e femininos.

– Para além de ver melhorias nas competições provinciais queremos ter campeonatos nacionais mais competitivos. É nossa expectativa que este ano tenhamos um campeonato nacional sénior masculino mais competitivo e mais largo, que seja disputado não no modelo do últimos anos que durou uma ou duas semanas. O mesmo queremos em relação aos femininos porque as províncias tem competições e não faz sentido não estarem presentes nos campeonatos nacionais.

Mabjaia observou que as províncias da Zambézia, Tete, Nampula, Cabo Delgado, Sofala, Manica, Zambézia e até Niassa movimentam basquetebol e, por isso, tem de estar presentes nos campeonatos nacionais.

Para tal, a federação vai interagir com as associações provinciais com a devida antecedência no sentido destas encontrarem soluções para a participação dos clubes locais.

– Se conseguirmos realizar o campeonato fora da cidade de Maputo, preferencialmente na região centro do país, será mais fácil, porque muitas vezes o que acresce os encargos às províncias é a realização dos campeonatos em Maputo. Organizando o campeonato na região centro, o desafio seria deslocar as equipas de Maputo para lá, enfatizou.

Nazir Salé é opção para os femininos

O treinador Nazir Salé, actualmente a orientar o Interclube de Luanda, Angola, continua a ser opção para dirigir a selecção nacional sénior feminina de basquetebol, que este ano vai participar nos Jogos Africanos do Congo e Afrobasket dos Camarões, em Setembro e Outubro, respectivamente.

Francisco Mabjaia disse que a equipa técnica da selecção feminina ainda não foi definida porque praticamente não tem competição programada nestes meses.

– Em Abril ou Maio será anunciada a equipa técnica da selecção, a opção que temos é Nazir Salé, mas ele tem compromisso com o Interclube de Luanda, teremos que avaliar em conjunto a disponibilidade dele em função do tempo que tem.

O dirigente da FMB aclarou que Nazir Salé é primeira opção e só o contrato que o liga ao clube angolano pode impedir o prolongamento da ligação entre o treinador e a selecção nacional.

– A nossa primeira opção para a selecção feminina é Nazir Salé, depende da sua disponibilidade, observadas as cláusulas contratuais dele com o Interclube de Luanda, aclarou o presidente da FMB.

Horácio Martins comanda masculinos

Horácio Martins foi escolhido pela direcção da Federação Moçambicana de Basquetebol para dirigir a selecção nacional sénior masculina nas campanhas de qualificação aos Jogos Africanos e Campeonato Africano deste ano, competições agendadas para Congo e Tunísia.

Actualmente treinador principal do Ferroviário de Maputo, Horácio Martins será coadjuvado por César Mulhui, técnico do Desportivo.

Horácio Martins há anos que trabalha no basquetebol sénior masculino, tendo já orientado o Maxaquene e Desportivo antes de transferir-se para os “locomotivas”.

Nos últimos anos, conduziu suas equipas às finais dos campeonatos nacionais mas nos jogos de decisão tem sido infeliz. De resto, o treinador perdeu seis finais nos últimos dez anos.

Horácio Martins tem no seu palmarés dois títulos nacionais ganhos em 2002 e 2004 pelo Desportivo e Maxaquene, respectivamente.

Custódio Mugabe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo