Desporto

Reforços “inundam” Estrela Vermelha

O Estrela Vermelha de Maputo já tem alistados para esta época futebolística de 2015 quinze reforços, com destaque para as contratações do defesa Fanuel, do ponta de lança Chana, ambos saídos do Desportivo de Maputo, e do médio Danito Parruque, ex-jogador do Ferroviário de Maputo, agora de regresso à casa onde se formou futebolista da elite.

Engrossam a lista de reforços os defesas Hilário (ex-Ferroviário de Quelimane), Sissoko (ex- Desportivo de Nacala), Obed (ex- Matchedje) e Munino (ex-Incomati).

Para a baliza os “alaranjados” têm assegurado os serviços de Castro (ex-Desportivo de Nacala) e Anivaldo (ex-vulcano). Davis (ex- Matchedje de Maputo), Gregório (ex-Incomati) e Nelsinho Nhampossa (Ferroviário de Maputo), são os médios alas. Do 1º de Maio de Quelimane veio o médio centro Buchy. Budi (ex-Estrela Vermelha da Beira) e Mandinho (ex-Vulcano) vão reforçar o ataque.

Com este lote de jogadores, em que se mistura experiência e juventude, o Estrela Vermelha, mais uma vez, pretende atacar em cheio o “Moçambola”, a maior e mais prestigiada prova futebolística do país.

No entanto, importa frisar que ao Estrela Vermelha não tem faltado jogadores para a sua subida ao campeonato nacional de futebol (“Moçambola”). Primeiro precisa de combater e vencer a oposição interna composta por alguns antigos jogadores, esses que um dia sonharam ser dirigentes da colectividade, mesmo sem fazer nada para o bem-estar do mesmo. Deles tem resultado a sabotagem que por vezes parece vir de fora.

O Estrela Vermelha também viu alguns dos seus jogadores da equipa do ano passado a sair, casos de Nelsinho para o Maxaquene, Elvêncio e Mambo para o Desportivo de Maputo, Chiza e Pedrito para o Ferroviário de Maputo, Balaca para ENH de Vilanculos, Cugumaio para HCB, Jordão para o Ferroviário de Nacala, Ivan para o Matchedje, Dainha para o Costa do Sol, em troca do zimbabweano David.

O presidente do clube, Luís Manhique, considera que estão criadas as condições para este ano o Estrela Vermelha se apresentar no campeonato da cidade de Maputo com uma equipa “ mais jovem e mais forte.”

Quanto a contratação de jogadores aparentemente em fim de carreira, Manhique explica dizendo que “o Estrela Vermelha está a tentar manter aquela mística ao permitir que a rapaziada que vem da sua academia encontre suporte de colegas experientes, o que vem acontecendo de ano pós ano.”

Apesar de esses jogadores experientes aparentemente estarem em fim das suas carreiras, a equipa do Estrela Vermelha vai continuar jovem e com média de idade geral dos atletas que varia de 25 a 26 anos, conforme a matemática do presidente Luís Manhique. 

Manuel Meque

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo