Desporto

Golfinhos respondem ao ataque dos Tubarões

Texto de Custódio Mugabe

Dominadores da natação moçambicana na última década, os Golfinhos de Maputo estão a responder no Campeonato da Cidade de Verão ao atrevimento evidenciado pelos Tubarões no torneio de abertura e Taça Maputo.

À entrada para o Campeonato do Verão, última quinta-feira, na piscina Raimundo Franisse, perguntava-se sem resposta até onde iria a ousadia dos Tubarões esta temporada.

Uma questão que os atletas dos Golfinhos trataram de começar a responder logo nas primeiras provas, chamando a si o domínio das contendas, se bem que com números muito próximos dos atletas dos Tubarões.

Quer em masculinos, quer em femininos, a discussão do primeiro lugar esteve sempre dividida entre atletas dos dois emblemas, relegando para posições subsequentes o Desportivo e Ferroviário de Maputo.

Até ao fecho deste trabalho, a diferença entre os dois emblemas era tangencial, pelo que só hoje, no final do campeonato, será conhecido o novo campeão.

Nota de realce para o regresso do Clube Naval, com um grupo produto das suas escolas, numa clara indicação de pretender recuperar a performance doutros tempos.

O campeonato que encerra hoje realiza-se depois da participação dos nadadores moçambicanos nos jogos regionais, no Zimbabwe, e também no Campeonato do Mundo, no Qatar, daí estarem presentes os melhores atletas da actualidade.

Nadadores como Jalik Tavares, Emídio Cuna, Valdo Lourenço, Nésio Bila, Shakil Fakir, Denilson da Costa ou Ahlaan Bique foram até ontem protagonistas de duelos renhidos, enquanto em femininos a disputa pelas melhores marcas centrou-se em Géssica Stgano, Jannah Sonneichein, Raquel Lourenço, Sassa Francisco, Jéssica Cossa ou Jéssica Francisco.

De resto, os protagonistas do campeonato ouvidos pelo domingo reconheceram a grande concorrência no campeonato, de modo que só hoje no anúncio final dos resultados poderão abrir a garrafa de champanhe para festejar o título por equipa.

Melhorar marcas a

pensar no Rio de Janeiro

– Érico Cuna

Érico Cuna, dos Golfinhos, nada todos estilos, preferencialmente costas e livres, em curtas distâncias. É rápido a atacar a meta, não se dando bem nas provas de longas. Espera melhorar os tempos e renovar o título de campeão nacional.

– Quero melhorar minhas marcas e representar bem o clube. Tenho bons adversários mas espero terminar em primeiro, treino-me para isso.

O atleta confessa que sonha com os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, e se falhar, vai atacar os de 2020, em Tóquio, capital japonesa. “Meu objectivo final é disputar os Jogos Olímpicos de 2016 e 2020”, remata o nadador.

Não estou em forma

– Valdo Lourenço

Arma letal dos Golfinhos, Valdo Lourenço ainda ocupa lugares de pódio, mas entende que podia fazer melhor e não o consegue porque não está a atravessar o seu melhor momento de forma devido a fadiga.

– Individualmente não tenho grandes objectivos porque não tenho estado bem, não estou em forma, espero dar o meu máximo para no final o clube sair campeão. Preciso de descanso.

O atleta espera muita competitividade em todas provas. “o clube está a apostar em novos miúdos e espero que eles gostem desta modalidade e se apliquem para trazer bons resultados no futuro”.

Seria bom bater recordes

– Jéssica Francisco

Melhorar tempos individuais e se possível bater recordes é o desejo de Jéssica Francisco no campeonato que hoje termina. A atleta dos Tubarões diz que iniciou o campeonato ligeiramente cansada depois de representar a selecção nacional nos Jogos do SCSA.

– Entrei no campeonato ligeiramente cansada, mesmo assim espero que tudo corra bem. Será óptimo se melhorar minhas marcas e se possível bater um recorde.

Sobre a concorrência, observa que só faz bem aos atletas. “A concorrência está sempre presente e se queres ser o melhor tens de competir com os melhores”.

Espero ser campeã do escalão

– Raquel Lourenço

Raquel Lourenço é nadadora dos Golfinhos e espera ser coroada hoje campeã do escalão, mesmo reconhecendo que a concorrência está muito forte.

– Espero ser campeã do escalão e como equipa estamos unidas para isso. Individualmente tenho a concorrência de Géssica Stagno e Jannah que são grandes nadadoras, se não ganhar de certeza vou aprender muito com elas.

A atleta entende que os Golfinhos têm um grupo forte e unido capaz de renovar o título, mesmo reconhecendo a vontade e qualidade dos adversários.

Queremos melhorar o quarto lugar

– Pedro Jalane

Pedro Jalane, técnico do Desportivo, revela que o grande objectivo do clube é melhorar o quarto lugar alcançado em 2013. Para o treinador, tudo foi feito para essa melhoria.

– Preparamo-nos bem, apesar de estarmos a treinar em casa emprestada, na piscina da associação. Preparamos a prova como deve ser e temos 25 atletas para melhorar a nossa prestação.

O treinador ressalvou que desde a primeira jornada os atletas bateram-se de igual para igual, o que contribuiu para a espectacularidade do campeonato.

Géssica Stagno e Jannah fixam novos recordes

As nadadoras Géssica Stagno e Jannah Sonnenshein, respectivamente dos clubes Tubarões e Golfinhos, protagonizaram duelos empolgantes em diferentes provas, tendo a sua prestação valido alguns recordes.

As nadadoras foram responsáveis pelos primeiros recordes do evento. De regresso a competição esta época depois de dois anos sabáticos, Géssica  melhorou para 1.07.50 minuto o seu anterior recorde (1.09.14) em 100 metros costas, fixado em 2012.

No entanto, assistiu oseu recordefixado em 2012 nos 400 metros estilos (5.38.45 minutos), ser batido por Jannah Sonnenshein, que fixou o novo máximo em 5,20,75. 

Sexta-feira, Géssica Stagno fixou um novo recorde em 1500 metros livres, com a marca de 19.46.24 minutos, superando os anteriores 20.50.62 de Raquel Lourenco, do Golfinhos, estabelecido em 2013.

Por seu turno, Jannah Sonnenshein bateu o recorde da Janete Antunes, ex-Golfinhos, nos 200 metros bruços, com o novo máximo fixado em 2.48.06 minutos, contra os 2.56.36 anteriores.

Emmasculinos, Valdo Lourenço, do Golfinhos, fixou o novo recordenos 1500 metros livres, com o máximo de 19.22.57, superando os 19.30.90 de Nelson Alimo, ex-clube Náutico da Beira, registado em 1989.

O atleta tem a oposição de nadadores mais novos, nomeadamente Jalik Tavares (Golfinhos), Shakil Fakir e Ahlaan Bique (Tubarões). De resto, Shakil Fakir fixou um novo recorde em 200 bruços, com o tempo de 3.36.77 minutos. O anterior pertencia ao ex-golfinho Ailton Semá e estava fixado em 2.38.57, em 2005.

Chuva danifica piscina do Zimpeto

A piscina olímpica do Zimpeto está inoperacional na sequência da chuva que caiu na Cidade de Maputo segunda-feira passada.

Fonte gestora daquela infra-estrutura disse ao domingo que a água da chuva atingiu o sistema de máquinas de que depende o funcionamento da piscina.

A Associação de Natação de Cidade de Maputo, gestora da piscina, já efectuou o levantamento dos estragos e está em contacto com o Fundo de Promoção Desportiva para a devida reparação.

Enquanto isso, as aulas de natação que decorriam naquele espaço estão interrompidas.“Stop” álcool no bar da piscina!

A Associação de Natação da Cidade de Maputo está a cumprir à letra a promessa de proibição de venda de bebidas alcoólicas no bar da piscina Raimundo Franisse sempre que estiverem a decorrer provas.

Quinta e sexta-feiras, quando soou o disparo indicativo do início das jornadas,  simultaneamente foi interrompida a venda de álcool, originando o abandono daquele espaço por aqueles que pretendiam apenas consumir bebidas sem assistir as provas.

Em dia de competição, os consumidores de álcool são convidados a marcar distância daquele espaço desportivo.

Simango Jr. trabalha em Nacala

O presidente da Liga Moçambicana de Futebol (LMF), Alberto Simango Jr., trabalhou semana finda na cidade portuária de Nacala, sede dos clubes Desportivo e Ferroviário de Nacala, participantes no “Moçambola” do próximo ano.

Naquele ponto da província de Nampula, Simango Jr. foi inteirar-se das condições do campo da Bela Vista, que vai acolher o “Moçambola”. De resto, o recinto foi a casa do Desportivo de Nacala época passada, havendo este ano necessidade de partilhar com o rival “locomotiva”.

Uma das preocupações da liderança da LMF prende-se com a condição dos balneários, segurança e espaços para dirigentes, delegados e imprensa na tribuna.

Tendo em conta que o Ferroviário de Nacala regressa à maior prova depois de vários anos, Simango Jr. foi transmitir as boas vindas e orientações sobre a necessidade do clube preparar-se devidamente ao nível das exigências da prova.

O nosso jornal apurou que diferentemente do sucedido este ano, a partir de 2015 as equipas visitantes seguirão directo para Nacala sem necessidade de passar por Nampula, uma vez ter sido inaugurado recentemente o Aeroporto Internacional de Nacala.

É o fim dos camiões superlotados de adeptos do Desportivo viajando dia e noite de Nacala a Nampula e vice-versa.

Custódio Mugabe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo