Desporto

Encerra primeira volta

A primeira volta do “Moçambola” encerra hoje com a disputa da 13ª jornada, com a Liga Muçulmana no topo da classificação e ainda com incertezas relativamente ao futuro campeão e clubes a descerem de divisão.

Já ninguém tira o prémio de vencedor da primeira volta do “Moçambola” à Liga muçulmana, uma vez conservar uma vantagem de seis pontos relativamente ao segundo classificado, HCB do Songo. O comandante soma 30 pontos, contra os 24 do representante provincial de Tete.

A turma de Sérgio Faife encerra a primeira volta do campeonato em Pemba, defrontando o Ferroviário local, a denunciar fragilidades, somando, por isso, dez pontos na cauda da tabela classificativa.

Jornada anterior os “locomotivas” de Pemba perderam dois a zero na Beira diante do seu homónimo, enquanto a Liga Muçulmana batia na Matola o Têxtil de Púnguè.

Vai dirigir o desafio o árbitro Estevão Matsinhe, coadjuvado por Joaquim Merinho e Carlos Guambe, sendo Abene Jussa quarto árbitro.

O segundo classificado, HCB, tem deslocação difícil a Nampula, para enfrentar o Ferroviário local (21 pontos). Poucos saem a sorrir da capital do norte.

Conseguirá o HCB? Resposta depois do último sopro do árbitro Luís Jumisse, a ser coadjuvado por João Paulo, Carlos Mussane e Júlio Goncalves.

O doentio Maxaquene joga na Beira ante outro mórbido, o Têxtil de Púnguè. Dois conjuntos longe dos seus objectivos, com 18 e dez pontos, respectivamente.

Jornada anterior os “tricolores” confirmaram o mau momento de forma empatando sem golos com o Estrela Vermelha da Beira, enquanto a equipa do povo beirense baqueava frente a Liga Muçulmana.

O árbitro do desafio será Mário Tembe, coadjuvado por Ivo Muiambo e Cláudio Macamo, sendo Manuel Castigo o quarto árbitro.

No Estádio da Machava evolui outro moribundo, Ferroviário de Maputo (doze pontos) contra o seu homónimo de Quelimane (14 pontos).

Apesar do favoritismo natural, não se adivinha uma tarde fácil para os pupilos de Víctor Pontes. António Domingos vai apitar o desafio, auxiliado por Bento Chengerenao e Manuel Nélson, sendo Paulo Buque o quarto árbitro.

No Chibuto, a turma da casa, em franca recuperação, recebe Ferroviário da Beira, também a subir de forma. Bom espectáculo em perspectiva a ser

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo