Desporto

Desporto em Gaza entre obstáculos e esperança

.Dinheiro entregue às federações não chega às associações provinciais

Gaza, à semelhança das outras províncias do país, queixa-se de diversas dificuldades, sobretudo financeira, para melhor programação de actividades que visem ao desenvolvimento da prática desportiva a todos níveis.

Mas algo vai sendo feito com o que se recebe gota-a-gota do Estado, através do Fundo de Promoção Desportiva (FPD). Porém, é graças ao apoio do Governo Provincial que algumas modalidades continuam praticáveis.

Há um esforço para que o parque desportivo herdado do período colonial não desapareça por completo. Reabilita-se aqui e acolá.

O futebol, à sua maneira, vai continuando a ser a modalidade mais praticada, mais em campos informais que convencionais. A permanência do Clube de Chibuto no Moçambola é orgulho de todos os gazenses, embora os de Xai-Xai almejem para breve a subida de uma equipa da capital provincial. E todos aguardam atentamente pela colocação de relva sintética no campo de futebol de Marian Nguabi.

O atletismo, que no passado se assumia como modalidade mãe, carece de pistas. Espera-se que a projectada para o campo de Maria Nguabi se torne realidade e preencha o vazio, sobretudo na capital Xai-Xai, onde naquele tempo se corria, se pulava, se lançava para participações em eventos nacionais e internacionais.

Porém, há expectativa de Associação Provincial de Atletismo de Gaza vir a aproveitar melhor a ajuda financeira e material que a Federação Moçambicana de Atletismo vem prestando. O Governo promete não defraudar na construção da pista de tartan do campo de Marian Nguabi.  

O basquetebol vai se arrastando nas escolas onde ainda resistem tabelas e cestos nos campinhos, maioritariamente a reclamarem de manutenção.

As outras modalidades estão em coma permanente. Se mexem quando está perto um campeonato nacional para onde seguem sem devida preparação. Muitos se recordam do tempo em que o andebol feminino, por exemplo, era uma das bandeiras muito visíveis no desporto de Gaza.

A canoagem é aquele desporto para os que podem e não quem só o quer praticar, idem os desportos motorizados, que os locais tanto estimam quando promovidos.

O Governo provincial, através da Direcção provincial da Juventude e Desporto, diz estar satisfeito com o procedimento da Federação Moçambicana de Futebol (FMF), no atendimento financeiro, material e moral à Associação Provincial de Futebol de Gaza.

A satisfação do Governo de Gaza estende-se ao atletismo pela forma correcta que a federação procede para com a Associação provincial de Atletismo de Gaza, alocando regularmente dinheiro e material.

Também em Gaza não chega o dinheiro que as federações nacionais, com excepção às de futebol e atletismo, recebem do Fundo de Promoção Desportiva para a promoção das respectivas modalidades em todo o país. Isso faz com as associações provinciais não tenham “pernas para andar” e fiquem fechadas nas suas sedes. E nem todas tem sedes próprias.

O Governo provincial nada pode fazer para ajudar financeiramente aquelas associações que não recebem das suas federações o dinheiro destinado ao desenvolvimento do desporto em todo o território de Moçambique.

A outra desgraça do desporto em Gaza, que se parece com a de outras províncias, é não poder beneficiar-se de patrocínio das empresas públicas e privadas, alegadamente porque a sua responsabilidade social é exercida na cidade de Maputo onde se encontram suas sedes decisórias.

Não se compreende como é que uma mcel, uma vodacom, uma EDM só presta responsabilidades aos clubes da capital do país quando vendem o seu produto em todo o território.

O ciúme pela capital aumenta quando se assiste equipas de Maputo com camisolas estampadas de dizeres publicitários de quatro ou cinco empresas, num campeonato, como Moçambola.

Clube de Gaza

elege nova direcção

O Clube de Gaza, na cidade de Xai-Xai, tem marcado para dia 26 de Junho, sexta-feira, uma Assembleia-Geral extraordinária para a eleição de novos corpos gerentes da colectividade.

O escrutínio está sendo preparado pela Comissão que neste momento gere os destinos do clube, que este ano não está inscrito em seniores na Associação Provincial de Futebol de Gaza por causa de crise financeira e organizacional.

Ainda não está bem claro quem será o novo presidente do clube, embora nos tenha sido adiantado o nome de António de Oliveira.

O afastamento do histórico Clube de Gaza da alta competição preocupa a todos os gazenses, razão pela qual a realização da AG de 26 de Junho é aguardada por todos na esperança de ver algo mudado e melhorado.

“Ter o Clube de Gaza a competir ao mais alto nível nas modalidades desportivas é sempre um grande incentivo às pessoas para a prática desportiva na província”, consideram alguns gazanse.

domingosoube do director provincial da Juventude e Desporto, Fernando Pinho, que o próprio governo de Gaza está preocupado com a situação que se vive naquele histórico clube.

“Estamos atentos ao que se passa no Clube de Gaza. Existe uma comissão que está a preparar a Assembleia Geral extraordinária agendada para o dia 26 de Junho. Nós estaremos lá. O representante do Conselho Nacional do Desportos está a liderar o processo. Participarão na eleição de novos corpos gerentes os sócios com quotas em dia. É preciso voltar a ver o Clube de Gaza na alta competição. E voltar a ter as suas instalações ao serviço do desporto”, frisou Fernando Pinho, que está satisfeito por o Estrela vermelha de Gaza já ter se organizado em Assembleia Geral.  

Manuel Meque

malembalemba@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo